Morfopsicologia: O que Seus Traços Faciais Dizem Sobre a Sua Personalidade

Shares
12 morfopsicologia - 12 - Morfopsicologia: O que Seus Traços Faciais Dizem Sobre a Sua Personalidade

A morfopsicologia é uma pseudociência que estuda o caráter, a personalidade, habilidades e atitudes das pessoas através da correlação e generalização de particularidades faciais.


Morfopsicologia: uma teoria facial da personalidade

 A nível morfológico e de acordo com a teoria da morfopsicologia, o rosto humano pode ser dividido em três zonas diferentes, e a prevalência de uma ou outra área em comparação com as outras, pode ser um bom indicador do temperamento e da personalidade da pessoa. Assim como também pode nos dar boas pistas sobre o seu tipo de inteligência: cerebral, emocional ou instintivo.

Cerebral: a região mais pronunciada é a que compreende o crânio e a testa; incluindo também as sobrancelhas e os olhos. Esta área nos fala sobre o pensamento da pessoa.

Emocional: a área mais destacada é a que compreende as maçãs do rosto, nariz e bochechas. Normalmente são pessoas cujas emoções transbordam, e possuem habilidades relacionadas com o afeto e o cuidado com os outros.

Instintivo: a área morfológica dominante é o maxilar inferior, boca e queixo. São pessoas que tendem ter atitudes e comportamentos dominados por impulsos e instintos.

 13 morfopsicologia - 13 - Morfopsicologia: O que Seus Traços Faciais Dizem Sobre a Sua Personalidade
As áreas do rosto
Dilatação: O rosto de forma dilatada lembra uma uva: redondo, cheio. Por outro lado, um rosto pouco dilatado se parece com uma uva passa: com a pele mais recolhida em torno da estrutura óssea facial.

Os dilatados geralmente são mais abertos, comunicativos, dóceis e amigáveis, de acordo com os princípios da morfopsicologia. Procuram o contato físico com outras pessoas.

 

Os retraídos, no entanto, procuram segurança e proteção, se adaptam facilmente ao meio onde se encontram e não são muito sociáveis. Em vez disso, se caracterizam por serem solitários e cautelosos. Seu jeito de ser faz com que sejam percebidos como mal-humorados.

 

A moldura: Especialistas em morfopsicologia usam a moldura como sinônimo para a construção óssea do rosto, e sua amplitude revelam o grau de vitalidade e energia do sujeito. Esta variável nos fala sobre a capacidade física da pessoa.
Os receptores: O nariz, a boca e os olhos estão intimamente ligados com a moldura. Se, como vimos, a moldura revela as reservas de energia da pessoa, o tamanho dos receptores indica qual deles gasta mais ou menos energia.
O tom: Refere-se à firmeza e grau dos músculos presentes na região do rosto. Ela está associada com o nível de vitalidade do sujeito, e serve para revelar se a predisposição vital da pessoa é ativa ou passiva.
A modelagem: O layout do contorno do rosto indica o grau de socialização da pessoa, e se a sua predisposição está mais associada com a intransigência ou com a adaptação:

Amassado

 

Geralmente têm problemas para se adaptar ao ambiente e podem ser muito imprevisíveis em suas reações. Eles são extremos em seus sentimentos e emoções, e vivem a vida com paixão tanto no amor quanto no ódio.

 

Ondulado

 





Indica que o sujeito tende à socialização e ao trabalho, sendo uma mistura entre simpatia e disposição.

 

Plano

 

Muito característico de pessoas sensíveis e vulneráveis. Apresentam dificuldade para se relacionar com os outros e podem parecer nervosos e rebeldes.

 

Redondo

 

Este tipo de rosto sugere uma alta receptividade e facilidade para relacionamentos pessoais, bem como um caráter acessível e benevolente.
Criticas à Morfopsicologia


Tal como acontece com todas as pseudociências, seus princípios e leis são baseados na observação, intuição ou, na melhor das hipóteses, em investigações científicas que revelaram alguma correlação entre duas variáveis ​​(neste caso, uma característica particular do rosto e um traço de personalidade). Uma vez que seria completamente absurdo afirmar uma relação absoluta entre possuir um traço fisionômico e apresentar um traço de personalidade, a maioria dos defensores da morfopsicologia apoiam a sua veracidade nestas correlações, que, por serem obtidas por meio de uma análise científica, não devem ser negligenciadas. Em todo caso, a veracidade desse tipo de teoria é muito limitada e as suas teses geralmente se baseiam em axiomas e não em dados obtidos cientificamente.

No entanto, a autenticidade da metapsicologia reside na própria concepção do determinismo genético do caráter, uma teoria amplamente refutada por inúmeros estudos que mostram a influência decisiva da educação e do ambiente social e cultural na personalidade, gostos e atitudes do indivíduo.Fonte: Pscologiaymente traduzido e adaptado por Psiconlinews

About the Author Psiconlinebrasil

Tudo sobre psicologia e comportamento.

follow me on:

Leave a Comment:

2 comments
Add Your Reply