Psiconlinews
Shares

Tristeza ou Depressão?

Shares

Chorar, rolar na cama e sentir pena de si mesmo. Será que estou com depressão?
Estamos vivendo um período em que a felicidade é obrigatória. Nas redes sociais estão todos felizes, lindos, bem sucedidos, viajando, fazendo declarações de amor. As pessoas parecem não suportar ouvir que a outra não está bem, que está passando por uma dificuldade, quando fazemos a rotineira pergunta: “tudo bem?”. Não estar, não é aceitável, você precisa estar feliz, ou fingir, se medicar ou se recolher para que ninguém tenha contato com o sofrimento.





É fundamental se permitir estar triste, sofrer em alguns momentos, como o fim de um relacionamento, a perda de emprego, morte de uma pessoa querida, doença, briga, saudade…Seja qual for seu motivo, o sofrimento está liberado. É sofrendo que crescemos, na busca de vias para que o desconforto e a angústia sejam resolvidos. É no sofrer que, em algum momento, resulta o desenvolvimento e na criação de novos esquemas de resolução de problema e de enfrentamento.
Quando começar a se preocupar?
A depressão é muito mais forte, é uma dor viver, a pessoa tem seu mundo cada vez mais restrito, seu sofrimento toma conta. O que começa a atrapalhar sua vida, a se desinteressar por atividades rotineiras e se empenhar menos, o que muitas vezes gera sintomas cognitivos como diminuição da concentração e memória gerando uma diminuição no rendimento profissional. A pessoa não consegue sentir prazer em boas companhias, passa a não querer sair de casa, pois acredita que as pessoas não gostam dela e que irá contaminar os lugares com sua tristeza.





É uma tristeza persistente, sentimento de culpa, inferioridade, muitas vezes, com sintomas físicos, tais como: dores, inflamações ou insônia. O desamparo, crença da não melhora e pensamentos negativos diante da vida podem conduzir à morte, pois, apenas através desta não será necessário sentir tanta dor. Há demasiado retraimento pessoal e sem tratamento a pessoa pode se retrair completamente ou até cometer suicídio.
Evidentemente, cada pessoa sente esses sentimentos e sintomas de diferentes formas e intensidades, pois cada um de nós teve vivências diferentes durante nossas vidas. O importante é como você enfrenta! Poder reconhecer que precisa investir em si mesmo e, geralmente, procurar ajuda psicológica.

About the Author Camila Prado

Oi, prazer! Sou Camila Prado, psicóloga, escrevo para o site como é pra você. Meu objetivo é contribuir para que você seja emocionalmente mais saudável, se sentir melhor consigo e resgatar sua autoconfiança; através do autoconhecimento e o desenvolvimento de novas formas de encarar e vencer os desafios.

follow me on: