Psiconlinews
Shares

Terror noturno: O pânico durante o sono

Shares

Os terrores noturnos e o sonambulismo estão entre os distúrbios do sono mais impressionantes. É provável que você já tenha ouvido falar de casos de terror noturno ou talvez já tenha passado por um desses episódios em algum momento da vida. É o tipo de experiência que não se esquece tão facilmente: são momentos de grande perturbação e confusão que parecem eternos (embora durem apenas alguns minutos).





Estamos falando de um estado de paralisia onde a consciência e a inconsciência se confundem gerando episódios muito assustadores. Há uma carga emocional muito grande que leva ao terror noturno. Porque que isso acontece? Qual é a origem desses terrores? Existe alguma causa orgânica ou psicológica? O que a ciência diz sobre isso?

Terrores noturnos e distúrbios do sono

O terror noturno pertence ao grupo de distúrbios do sono, dentro dessa classificação se encontra o grupo de parassonias, que são divididos em três grupos:

Parasomnias do despertar
Paransomnias associados ao sono REM – (fase do sono onde temos os sonhos).
Outras parassonias

Terrores noturnos pertencem ao primeiro grupo. A diferença entre o sonambulismo (que também é uma alteração do despertar) e os terrores noturnos é caracterizada pelo terror e o medo extremo associado à paralisia que mantém a pessoa em um grande estado de tensão. Normalmente, ocorrem entre as primeiras 2 ou 3 horas de sono.





Qual é a diferença entre os terrores noturnos e os pesadelos?

A principal diferença é que os pesadelos são inteiramente produzidos dentro da fase do sono REM, onde despertamos completamente. O terror noturno é um pequeno despertar: ficamos conscientes de certas coisas, mas não somos capazes de nos tornar independentes do sono e, muito provavelmente, quando o episódio de terror noturno acaba, continuamos dormindo e esquecemos o que aconteceu.
Os terrores noturnos incluem episódios de choros e gritos que aparecem de repente durante o sono profundo à noite ou também podem observados através de uma expressão facial de forte terror. Assim como acontece com sonambulismo, esse distúrbio geralmente ocorre em crianças de 4 a 7 anos e se tornam menos comuns após essa idade. Nos adultos, podem acontecer a qualquer momento e, em alguns casos, várias vezes em uma só noite. Durante um episódio de terror noturno na infância, a criança pode apresentar sintomas como sudorese profusa, freqüência cardíaca elevada, confusão e choros. Este sintoma não varia na adolescência nem na idade adulta.

Causas dos terrores noturnos

Pouco se sabe sobre os aspectos neurológicos e fisiológicos causadores dos terrores noturnos, mas, alguns especialistas em saúde mental acreditam que existem alguns fatores que podem desencadear esse distúrbio, entre os quais estão:

A falta de sono
Estados de estresse emocional
Uso de remédios ou algum tipo de droga
Problemas orgânicos

Diagnóstico





Para o diagnóstico, procure um profissional de saúde mental para que ele avalie o problema mais profundamente. Note que existem outros distúrbios com sintomas muito semelhantes aos dos terrores noturnos, que só um profissional qualificado consegue diferenciar e dar um diagnóstico final. Entre os distúrbios com sintomas semelhantes estão:

Os Pesadelos
O transtorno por estresse pós-traumático
A paralisia do sono

O tratamento para os terrores noturnos

A ciência vem avançando muito nos últimos anos, mas ainda não há muitas explicações sobre a lógica, o funcionamento e as origens dos distúrbios do sono. Não existe um tratamento específico para os terrores noturnos. Assim como acontece com o sonambulismo, alguns profissionais recomendam técnicas alternativas como meditação, hipnose, ioga, etc. Desde que sejam complementares a uma intervenção psicológica ou psiquiátrica.

About the Author Taiz de Souza

Apaixonada por psicologia, se dedica a pesquisar continuamente os assuntos mais atuais e variados relacionados a psicologia a fim partilhar artigos interessantes e confiáveis a todos que apreciam.

follow me on: