Psiconlinews
Shares

Como identificar os vampiros emocionais da sua vida

Shares

Como médico psiquiatra, descobri que o maior dreno de energia dos meus pacientes estavam em seus relacionamentos. Alguns relacionamentos são fontes de elevação positiva e humor. Outros podem sugar todo o otimismo e a serenidade de você.





Eu chamo essas pessoas de “vampiros emocionais“. Eles fazem mais do que drenar a sua energia física. Essas pessoas podem fazer você acreditar que é indigno de ser amado. Podem lhe infligir danos com proporções menores só para fazer você se sentir mal consigo mesmo. Se proteger deles é importante para combater a drenagem da sua energia pessoal.

Sinais de que você encontrou um vampiro emocional

  • Seu humor despenca;
  • Você sente vontade de ingerir carboidratos ou alimentos de recompensa;
  • Você se sente ansioso, deprimido ou pessimista;
  • Você se sente com uma baixa autoestima.

Tipos de Vampiros Emocionais

1. O Narcisista





Seu lema é “Eu em primeiro lugar”. Eles têm um senso grandioso de auto-importância, anseiam por atenção e admiração. São perigosos porque não têm empatia e possuem uma capacidade limitada de amar. Se você não fizer as coisas à sua maneira, eles se tornam vingativos e frios.

Como se proteger: Mantenha as suas expectativas com os pés no chão. Estas pessoas são emocionalmente limitadas. Tente não se apaixonar por um ou esperar que eles ajam de modo altruísta. Nunca permita que a sua auto-estima dependa deles ou lhes confie seus sentimentos mais profundos. Para se comunicar com sucesso, a dura verdade é que você precisa mostrar como algo será vantajoso para eles. Embora seja melhor não ter de lidar com este tipo de personalidade adorador de si mesmo, se o relacionamento for inevitável, esta abordagem funciona.

2. A vítima

Esses vampiros irritam com a sua atitude “tadinho de mim”. Acham que o mundo está sempre contra eles, por isso se sentem infelizes. Quando você oferece uma solução para seus problemas, eles geralmente dizem: “Sim, mas …”. Você pode escolher não atender mais aos seus pedidos ou simplesmente evitá-los. Como amigo, você pode querer ajudar, mas essa ”cachoeira de lamentações” sem fim poderá drenar as suas energias..

Como se proteger: Estabeleça limites gentilmente, mas com firmeza. Ouça brevemente e diga ao amigo ou parente: “Eu te amo, mas eu só posso ouvi-lo por alguns minutos, a menos que queira falar sobre soluções”. Com um colega de trabalho, diga simpaticamente: “Eu vou continuar a pensar positivamente para que as coisas funcionem”. Em seguida, diga: “Espero que você entenda, mas eu estou no prazo e preciso voltar ao trabalho”. Em seguida, use o “este não é um bom momento” e a linguagem corporal, como cruzar os braços e quebrando o contato visual, para ajudar a definir estes limites saudáveis.

3. O Controlador





Essas pessoas tem uma obsessão para tentar controlá-lo e ditar como você deveria ser e se sentir. Eles têm uma opinião sobre tudo e irão tentar te controlar, invalidando as suas emoções, caso elas não se encaixem no seu ”livro de regras”. Muitas vezes, eles começam suas frases com “Você sabe o que você precisa?” e depois prosseguem. Você acaba se sentindo dominado, humilhado ou colocado para baixo.

Como se proteger: O segredo do sucesso é nunca tentar controlar um controlador. Seja saudavelmente assertivo, mas não lhes diga o que fazer. Você pode dizer: “Eu valorizo ​​o seu conselho, mas quem precisa trabalhar para resolver isso sou eu mesmo”. Seja confiante, mas não se faça de vítima.

4. O Falador Constante

Essas pessoas não se interessam pelos seus sentimentos. Eles só se preocupam consigo mesmos. Você espera por uma abertura, para falar sobre o que pensa, mas ela nunca surge. Essas pessoas não respeitam o seu espaço e se aproximam tanto para falar que quando você percebe elas estão praticamente respirando em você. Você dá um passo para trás, mas elas se aproximam novamente.

Como se proteger: Essas pessoas não respondem aos sinais não-verbais. Você precisa falar e interrompê-la, por mais difícil que isso possa parecer. Escute-a por alguns minutos. Em seguida, diga educadamente: “Eu odeio interromper, mas por favor me desculpe, eu tenho que falar com outra pessoa… ou ir a um compromisso… ou ir ao banheiro”. Uma tática muito mais construtiva do que, “Cale-se, você está me deixando louco!” se for um membro da família, diga educadamente: “Eu adoraria se você me permitisse algum tempo para que eu possa acrescentar minha opinião nessa conversa”. Se você disser isso de forma neutra, é mais provável que seja ouvido.

5. A Rainha do Drama

Essas pessoas têm o dom para transformar pequenos incidentes em dramas dignos de uma novela. Uma das minhas pacientes, Sarah, estava se sentindo exausta depois que contratou um novo funcionário que sempre chegava atrasado no trabalho. Uma semana ele pegou uma gripe e “quase morreu”. Em seguida, seu carro foi rebocado, outra vez! Depois que este funcionário saía do seu escritório, Sarah se sentia cansada e usada.

Como se proteger: Fique calmo. Faça algumas respirações profundas. Isso ajudará você a não ficar preso no melodrama. Estabeleça limites gentis, mas firmes. Diga, por exemplo, “Você deve chegar aqui no horário certo para manter o seu emprego. Sinto muito por todos os seus percalços, mas o trabalho vem em primeiro lugar”.

Para melhorar seus relacionamentos e aumentar o seu nível de energia, eu sugiro fazer um inventário das pessoas que te dão energia e aquelas que a drenam. Tente passar mais o seu tempo com as pessoas que nutrem o seu bem-estar, e aprenda a estabelecer limites com aquelas sugam você. Isto irá melhorar muito a sua qualidade de sua vida.

 Por: Judith Orloff traduzido e adaptado por Psiconlinews.

About the Author Psiconlinebrasil

Tudo sobre psicologia e comportamento.

follow me on: