Psiconlinews
Shares

Psicólogo: Devo insistir ou desistir?

Shares

Mais uma vez estou aqui para relatar uma de minhas experiências, e creio que é muito importante para muitos leitores que me acompanham e que passam por problemas semelhantes. Não me lembro se cheguei a citar o fato de que iniciaria uma terapia com uma psicóloga, mais precisamente a sétima com quem eu passaria, mas foi isso que aconteceu e quero contar-lhes o quão foi bom não ter desistido e ter insistido em procurar um profissional, embora tenha tido alguns insucessos durante o caminho percorrido.





Algumas pessoas tendem a desistir do tratamento à medida que vão a consultas com psicólogos e não sentem mudanças benéficas. Porém, este é um profissional extremamente importante para pessoas que sofrem com transtornos psiquiátricos, como eu.
Durante minhas consultas com seis psicólogos anteriores, só o que eu fazia era desabafar minhas angústias. Devo admitir que minha sexta, e quase última psicóloga, foi uma das melhores, pois ela me escutava, mas também participava da conversa. Não sei se ocorre com você leitor, mas odeio monólogos e aquela sensação de que estou sendo analisada, por isso aprecio o profissional que leva a consulta como se fosse uma conversa normal entre duas pessoas. Por que não deu certo com as outras cinco psicólogas? Isso é extremamente normal. Sempre haverá aquela pessoa na qual você se sente travada, e foi isso o que me impediu de me dar bem com as profissionais anteriores, mas isso não indica que elas não fossem boas.





Enfim, apesar de ter tido boas sessões com minha sexta psicóloga, algo faltava e esse algo foi o que minha sétima psicóloga me deu. Acredito que são poucos os profissionais dessa área que te avaliam e te indicam uma terapia mais adequada ao seu perfil. Posso estar completamente enganada, mas durante uma experiência com seis psicólogas, nenhuma sequer citou nenhum tipo de tratamento mais específico para o meu caso, fator este que é extremamente importante.
Enfim, com minha sétima psicóloga expus novamente meu problema, e durante UMA sessão, ela logo me avaliou e afirmou que eu precisava passar por um tratamento com sessões psicoterápicas, por pelo menos um período mínimo de três anos. Ela me indicou a Terapia Cognitivo Comportamental (TCC), pois basicamente é uma terapia que foca nos pensamentos e comportamentos do indivíduo.
“A Terapia Cognitiva Comportamental é uma linha de psicoterapia proposta e desenvolvida pelo psicólogo Aaron Beck. Envolve um conjunto de técnicas e estratégias terapêuticas com a finalidade de mudança de padrões de pensamento. ” Em suma, a TCC trabalha na reestruturação do pensamento, que é algo que particularmente devo fazer parta melhorar meu quadro depressivo, visto que lido com pensamentos suicidas há cerca de dez anos.
O que quero lhe mostrar com esse relato, é que você nunca deve desistir de ir a um profissional, mesmo que não tenha sido eficaz com um, dois ou mais. A ajuda é algo que não devemos desistir nunca. E que você, como paciente, deve cobrar do profissional essa avaliação e pedir para que ele lhe indique uma terapia adequada ao seu perfil.
Com saúde mental, não se brinca.

About the Author Carolina Santos

Sou formada em Administração pela UFPE e apaixonada por Psicologia. Lido com a Depressão desde sete anos de idade. Sou apaixonada por leitura e escrita. E meu maior sonho é poder ajudar as pessoas através das minhas experiências de vida. Participem do meu grupo no Facebook: https://www.facebook.com/groups/1969510996617235/ Lá eu interajo mais com vocês sobre a Depressão Abraço :*

follow me on: