Psiconlinews
Shares

Mulheres inteligentes tendem a permanecer solteiras

Shares

Dizem que as mulheres inteligentes são aquelas que levam uma vida independente, mas isso não é tão simples assim, isso porque existem uma série de normas sociais e clichês que tendem a acorrentar as mulheres ao trabalho culturalmente atribuído a elas: cuidar da casa, dos filhos e do marido. A sociedade está mudando, mas os homens ainda vêem as mulheres inteligentes com certa desconfiança.






Felizmente, os tempos mudaram e hoje em dia as mulheres podem escolher no que querem se dedicar e com quem querem partilhar a sua vida… Algumas delas escolhem ficar solteiras e isso será discutido no artigo de hoje.

A imposição do casamento: destinadas a formar uma família?

Vamos começar com uma breve reflexão: cada mulher tem a liberdade de escolher seu próprio destino. Isto inclui a possibilidade de amar alguém, de formar uma família, de não se apaixonar ou de se apaixonar várias vezes. E nisso, não há nada de errado.
Acontece que certos estereótipos pesam e dão à mulher um papel subordinado na nossa sociedade, especialmente no que diz respeito à forma com que ela leva a sua vida amorosa. Os padrões culturais afetam a todos, mas, especialmente as mulheres. Há muitos ditados e frases recorrentes que buscam ditar às mulheres como elas devem agir na sua vida amorosa e na questão da maternidade: “Está com 35 anos e você ainda não casou”, “Case com o fulano, ele tem uma empresa e é bom partido”, “Você vai ficar pra titia”… Esses tipos de frases influenciam as mulheres, mesmo que inconscientemente.

Entre a felicidade e resignação





Outro ditado muito conhecido diz que “a ignorância trás felicidade”. Certamente, pode ser difícil para uma mulher inteligente encontrar um homem com quem ela possa se expressar livremente e se sentir intelectualmente estimulada. Isto, sem mencionar a sapiosexualidade.
A pressão social em seu círculo interno pode ser irritante o suficiente para garantir que uma mulher inteligente não consiga se conectar com outra pessoa, ao contrário dos seus amigos que parecem ter um imã para as relações amorosas. Enquanto o último reproduz o slogan cultural com menos reticências, o primeiro geralmente permanece firme em sua posição.

Um estudo confirma: as mulheres solteiras tendem a ser mais inteligentes

Então, por que as mulheres mais inteligentes tendem a permanecer solteiras? Existe alguma razão objetiva para que algumas pessoas não tenham como prioridade a manutenção de uma relação emocional com uma mulher inteligente? Existe algum tipo de aversão, consciente ou inconsciente para com as mulheres inteligentes?
Pode haver certo padrão a partir da idéia de que as mulheres mais inteligentes são mais exigentes e, portanto, tendem a permanecer solteiras. É apenas uma hipótese, mas que pode fazer sentido, especialmente após uma pesquisa intitulada “Por que os homens inteligentes escolhem mulheres menos inteligentes?”, Que foi publicado no Daily Mail e Daily Elite, entre outros.
O acadêmico John Carney explica que as mulheres menos inteligentes tendem a ter mais tempo livre porque elas são incapazes de obter benefícios econômicos suficientes. Se elas estudam mais ou trabalham mais horas do que o habitual, tenderiam a escolher homens com maior inteligência, o que estatisticamente, são os que têm os melhores empregos e salários, o que as ajudaria a crescer economicamente e desfrutar de um modo de vida mais elevado, conclui a pesquisa de John Carney, que é claro, está gerando uma grande polêmica.

O outro lado da moeda: homens procuram mulheres… Não tão inteligentes





Parece que as motivações dos homens quanto a namoro também deixa um pouco a desejar a partir de um prisma moral. Carney argumenta que eles procuram uma mulher que prioriza o relacionamento e o projeto familiar acima de qualquer outro aspecto da vida, e, é claro que existem mulheres, geralmente as “não tão inteligentes” (segundo a pesquisa) que estão dispostas a apoiar essa idéia.

Os perigos e os problemas de ser uma mulher inteligente

Obviamente, ser uma mulher inteligente tem grandes desvantagens. Provavelmente, seria um grande dilema se qualquer mulher tivesse que escolher entre ser ou não ser inteligente, pois, embora pareça muito melhor ser inteligente, a realidade é que desfrutar de uma mente privilegiada implica em problemas consideráveis ao enfrentar a vida real.
Eles dizem que as mulheres “tontas” (se é que me permitem a expressão) não são levadas a sério pelos homens, enquanto as mulheres inteligentes são sim levadas a sério por eles, talvez até demais, ao ponto de as verem como rivais em vez de possíveis parceiras.
Assim, as mulheres em todo o mundo vivem em constante tensão: se forem menos agraciadas intelectualmente serão vistas freqüentemente como pouco mais do que objetos sexuais e donas de casa, e se forem mulheres inteligentes serão vistas como uma ameaça indesejável, uma concorrente profissional.

Aprofundando o estudo

O estudo de Carney foi realizado com 121 cidadãos britânicos. Os resultados têm dado muito que falar: quando questionados sobre os relacionamentos em que as mulheres tinham uma inteligência claramente superior, os entrevistados as viram como problemáticas e menos desejáveis.
Ao aplicarem o teste em sentido inverso (homem sendo o mais inteligente da relação), os entrevistados não relataram qualquer indício de crítica ou censura, nesse caso, aconteceu o oposto: eram vistos como mais desejáveis.

Os estereótipos de gênero estão longe de serem extintos

Estamos diante de uma prova de diferentes estereótipos que, em pleno século XXI, continua tentando explicar por que as mulheres enfrentam discriminação em algumas áreas da vida. Estes preconceitos de gênero acabam massacrando as mulheres com grande capacidade intelectual, não só no campo profissional como também nas relações sociais e nos relacionamentos, onde ser inteligente é visto como algo indesejável.

É necessário ter um parceiro para ser feliz?

Nós vivemos em uma sociedade que nos obriga a ter uma vida ordenada. Um emprego estável, um parceiro formal e, a certa idade, formar uma família, ter filhos e um lar, mas, essa é uma abordagem que podemos questionar. Para algumas pessoas, esse modelo de vida pode estar totalmente de acordo com as suas expectativas e sonhos, e isso deve ser plenamente respeitado. A nossa geração acaba aceitando algumas tradições e imposições culturais.
Algumas mulheres, apegadas a este contexto moral, procuram homens que as apreciem para partilhar a vida.
Nas faculdades, as mulheres já são a maioria. Isso significa que, entre outras coisas, é bastante provável que, no futuro, as mulheres preferirão um parceiro com menores habilitações acadêmicas do que elas. Estamos diante de uma nova e confusa realidade social: cada vez mais as mulheres desenvolvem carreiras acadêmicas e executam trabalhos importantes ou poderosos, por sua vez, os homens não estão dispostos a renunciar sua posição de hegemonia intelectual entre o casal, esse é um fato que faz com que muitas das mulheres “inteligentes” prefiram ficar solteiras.

About the Author Taiz de Souza

Apaixonada por psicologia, se dedica a pesquisar continuamente os assuntos mais atuais e variados relacionados a psicologia a fim partilhar artigos interessantes e confiáveis a todos que apreciam.

follow me on: