Psiconlinews
Shares

Ciência x Religião: Mãe segue recomendação de pastora e prende filha por achar que ela estava ”possuída”

Shares

3caef7fbd6f60ced_Stressed-Girl.xxxlarge_2x1 (1)

Policiais militares prenderam uma mulher que mantinha a própria filha em cárcere privado. O motivo: a mãe acreditava que a menina, de apenas 8 anos, estava com o “diabo no corpo”. Uma pastora evangélica também foi presa por convencer a fiel que a filha estava possuída. O caso ocorreu em Ceilândia, e as duas mulheres foram levadas para a 23ª Delegacia de Polícia (P Sul) na noite desta sexta-feira (5/8).





De acordo com os policiais que atenderam a ocorrência, o caso foi denunciado pelo Conselho Tutelar da cidade e dava conta de que a menina era torturada no quarto escuro de um barraco, nos fundos de uma pequena igreja, na QNN 05, em Ceilândia Norte.

Quando chegaram ao local, policiais do Departamento Operacional (DOP) da PM encontraram a criança trancada no cômodo, nos fundos do barraco. “A menina estava muito assustada, apresentava sinais de desnutrição, desidratação, inflamação na boca e muita fraqueza”, explicou o major Márcio Rogério.





Segundo a PMDF, a criança era submetida a essas condições há quatro anos. Por conta de todos os maus-tratos, ela não sabe falar. Ainda de acordo com a corporação, a menina terá que fazer uma transfusão de sangue ainda nesta sexta (5).

As duas mulheres foram presas em flagrante e autuadas por cárcere privado e tortura.

Aos conselheiros, a menina disse que estudava, tinha amigos e até conseguia “andar rápido”. No entanto, a mãe a teria colocado “de castigo”. Ela não soube dizer há quanto tempo ficou trancada.
“Lá era muito escuro, ela perdeu a noção do que era dia ou noite. Falava que comia biscoito, às vezes”, ressaltou Cristina. Sobre o suposto tratamento recomendado pela pastora, a criança informou que a mãe não a tratava pelo nome. “Ela me chama de demônio”, disse a criança à conselheira.

“Acreditamos que existem outras vítimas. Por isso, a ajuda dos moradores é muito importante. É preciso denunciar. Foi graças a essas informações anônimas que conseguimos resgatar essa criança”, disse a conselheira Cristina Caetana.

Um vídeo divulgado pela Polícia Militar mostra o momento em que a menina B. foi encontrada pelos PMs. As imagens revelam a negligência com que a criança era tratada. Estava magra, deitada no chão sem qualquer proteção e totalmente abandonada.

“Foi muito impactante chegar lá e ver essa situação. Sou pai de família e, como policial, temos que aprender a controlar as emoções. Ela me disse que tinha que se rastejar para usar o banheiro. Teve os brinquedos tomados, por isso queremos levar um pouco de alegria para ela hoje”, disse o major Marcio Rogério.

Comovidos com a situação, policiais militares que atuaram na ocorrência se mobilizaram para comprar brinquedos para a garotinha. A entrega será feita neste sábado (6) no hospital em que ela está internada.

Assim que os conselheiros chegaram à residência, a mãe alegou que a filha estava no quarto porque era doente, não andava e tinha dificuldades para falar. “Levei ela no hospital várias vezes, a médica desconfia que ela também tenha gastrite”, disse a mãe. Fraca, a criança não conseguia se levantar do chão. Ela estava trancada em um quarto vazio, sem móveis e no escuro, por ao menos dois meses, suspeita a Polícia Militar.

No hospital





A menina permanece internada no Hospital Regional de Ceilândia (HRC) se recuperando de um quadro de grave desnutrição. Ainda não há previsão de alta. Parentes da garota foram localizados. Suspeita-se que os familiares não sabiam da tortura. Agora, será feira uma análise para confirmar se os tios podem ficar com a guarda da vítima.

A criança, que morava apenas com a mãe nos fundos de uma igreja, também receberá acompanhamento de psicólogos. A mãe e a suposta pastora continuam presas. O caso será investigado pela 15ª Delegacia de Polícia (Ceilândia). A dupla foi autuada em flagrante por tortura.

Denuncie

Quem souber de outros casos de crianças que sofrem maus-tratos deve denunciar por meio do Disque 100 ou ao Conselho Tutelar da região.

Fonte: Metropoles.com

About the Author Psiconlinebrasil

Tudo sobre psicologia e comportamento.

follow me on: