Psiconlinews
Shares

A psicologia dos gatos: 6 Coisas que você precisa saber sobre eles

Shares

gatos

Pela sua presença silenciosa e analítica, os gatos podem ser comparados aos psicólogos: parecem compreender todos os problemas humanos e seus vazios existenciais. Você até se esqueceria de que ele é um animal se de vez em quando ele não trouxesse um animal que ele mesmo caçou para casa. A seguir estão algumas informações interessantes sobre como a mente e o comportamento dos gatos funciona. Você poderá se surpreender com algumas coisas.





Eu em primeiro lugar

A maioria das pessoas pensa que os gatos são animais egoístas, no entanto, eles só prezam pelo próprio bem-estar. Sem precisar seguir um programa de desenvolvimento pessoal, eles têm alguns truques: o seu ronronar que, ao contrário do que muitos pensam, não é um sinal de contentamento, mas um liberador natural de estresse. Os gatos fazem esse ritual de higiene para se acalmar, dentre outros usados exclusivamente para aliviar o estresse e a ansiedade.

Muitas pessoas desejam aplicar essa filosofia em suas próprias vidas: cultivar bons hábitos que gerem bem-estar, segurança e diversão. O mais incrível de tudo é que apesar de seu egocentrismo, os gatos, através de sua própria existência, conseguem nos animar quando estamos nos sentindo melancólicos.

Lar (meu) doce lar





No minuto em que você adota um gato, é você quem passa a viver na casa dele. Ele se acha dono da casa no momento em que pisa nela pela primeira vez: já toma conta da cozinha, do sofá e até arranja o seu próprio cantinho. Os objetos, em hipótese alguma, devem ser substituídos ou trocados de lugar:  sua casa se torna o centro do universo para ele. Se você mudar alguma coisa dele de lugar, fará com que ele suba pelas paredes de tanto estresse. O interessante é que, apesar de tudo, eles não precisam de muito espaço para serem felizes, basta 2 ou 3 cômodos para que se divirtam saltando por cima dos armários, escalando sofás e brincando por aí. Eles só precisam de distração: quando um gato fica deprimido, ele se torna obeso ou esquelético, hiperativo ou agressivo e perde todo o seu senso de limpeza, então fique atento a esses sinais.

Gostam de dominar

“A presença dele lhe faz bem, você está ligado a ele e ele a você, mas não espere que ele retribua todo o carinho que você dispensa a ele”, diz a veterinária Joel Dehasse. O que conta para um gato é ter tanto conforto físico quanto psicológico, se ele for de uma raça oriental, reconhecerá o tom da sua voz, seguirá você por onde for e estará até disposto a morrer por você, no entanto, se ele não gostar das condições que você lhe oferecer, ele vai tentar fugir. Nunca se esqueça disso: você acha que adotou um gato, mas na verdade foi ele quem o escolheu. Você não é seu mestre, mas sim um igual, que está ali para promover o bem-estar de ambos, pelo menos é assim que eles pensam. 

São exigentes





O gato é exigente, quando ele gosta de uma marca de ração, dificilmente dará o braço a torcer e comerá alguma que não seja aquela que ele escolheu. Ele gosta de dormir em cima de você porque você é uma fonte de calor. Ele não tem um horário para dormir, gosta de fazer seus próprios horários, não se espante se ouvir ele brincando pela cozinha às 5 da manhã, ele faz o que quiser, já que pode dormir cerca de 17 horas em um só dia. Felizmente, conforme a idade vai avançando, os gatos tendem a se comportar mais e os seus problemas de insônia acabarão.

Têm vários parceiros sexuais

Sem exceções, os gatos não têm uma vida conjugal estável. Eles praticam incesto, embora na maioria das vezes prefiram parceiros de outras espécies. “As gatas têm até seis amantes em quatro horas, vinte copulações por dia, e é o único animal que pode sentir orgasmos genuínos” diz Joel Dehasse. No caso dos gatos “podem trocar de parceira cerca de nove vezes por dia e tem quinze copulações em um só dia”. No entanto, a vida na cidade, principalmente em apartamentos, não é compatível com a sexualidade felina, por isso, muitos donos optam por castrar seus animais, caso contrário terão de aguentar os miados estranhos e altos que a gata faz quando está no cio e a marcação urinária que o gato faz para demarcar seu território.

São guiados pelo prazer

Geralmente, os gatos miam bastante quando são filhotinhos, seu miado é como um chamado para o seu dono. Geralmente esse miado não tem nenhum sentido além de transmitir a emoção do momento, as emoções dolorosas são transmitidas por miados graves, e as emoções mais prazerosas são transmitidas por miados agudos. “Para falar com um gato, não hesite em usar um tom de voz infantilizado, tente tratá-los como você trataria um bebê, eles adoram esse tom de voz” diz a veterinária Marie-Claude Bomsel. Se você quiser conversar com o seu gato, fique cerca de 50 centímetros longe dele, ele enxerga seis vezes melhor do que você no escuro, isso significa que ele é terrivelmente míope. Ele enxerga as coisas turvas e tem dificuldade em discernir as cores corretamente, na verdade, ele sente a sua presença mais pelo olfato do que pela visão.

About the Author Raquel Lopes

Tradutora da Psiconlinews, estudante de Relações Internacionais, gosta de literatura, psicologia e viajar por aí.

follow me on: