Psiconlinews
Shares

Saiba como é viver com ansiedade de desempenho

Shares

Por: 

ansiedade

Logo que ela aparece eu aciono os meus hábitos nervosos: começo a roer a unha, bater o pé ou passar a minha mão pelos cabelos. Se você olhar bem de perto, conseguirá vê-la em uma mensagem de texto visualizada e não respondida, num riso nervoso, ou no pânico que surge em meus olhos quando meus planos não dão certo.






Ter ansiedade de desempenho é como sentir uma cobra subindo pelas minhas costas e abrindo a mandíbula entre o meu pescoço e os meus ombros. Sinto uma confusão em meu corpo, é como se eu tivesse levado um soco no estômago ou estivesse escrevendo um e-mail enquanto sou atacada por um leão.

Ter ansiedade de desempenho é como ouvir o todo tempo de si mesma:

Você não é boa o suficiente. Você é uma péssima amiga. Você não é boa no trabalho. Você só sabe gastar o seu tempo, apresse-se. Você não vale a pena. O seu namorado não gosta de você. Você é muito carente. O que você está fazendo consigo mesma? E se eles odiarem? Por que você não consegue organizar a sua vida? Você vai ficar ansiosa e por causa disso vai acabar estragando tudo. Você é uma fraude, só é boa em fingir que sabe fazer as coisas. Você está deixando todo mundo triste. Ninguém aqui gosta de você.





A minha ansiedade está sempre procurando uma saída, algo que canalize toda essa energia que parece ser inesgotável. Então estou sempre fazendo alguma coisa, escrevendo, correndo, fazendo listas de tarefas sem sentido mas que me mantém ocupada, às vezes faço polichinelos na sala ou senão danço e finjo que estou me divertindo, quando na verdade só estou tentando desesperadamente tirar todos esses pensamentos ruins da minha cabeça.

Ter ansiedade de desempenho é se esconder atrás de risos nervosos:

Ter ansiedade é estar sempre fazendo coisas e ao mesmo tempo evitar fazer aquilo que é realmente importante; é deixar que as coisas se acumulem em vez de admitir que você está sobrecarregado e precisa de ajuda. Quando você sente que falou algo errado (o que ocorre na maior parte do tempo) o seu cérebro inicia um ciclo de pensamentos: Você fala demais, ninguém lhe perguntou nada, ninguém liga para o que você diz, e isso faz com que você nunca mais queira abrir a boca.





É horrível acordar no meio da noite chorando porque o seu cérebro imaginou o pior cenário possível, e ele parecia tão vivido que mesmo sabendo que não era real, leva horas para que o seu coração se acalme. Sofro por antecipação quando fico sozinha com os meus pensamentos, penso em tudo que poderia dar errado e todos os dias faço uma lista daquilo que preciso fazer (escrever, ir ao super mercado, assistir TV, etc.). Ter ansiedade extrema é não se sentir boa o suficiente para escrever este artigo; posso ser boa em conversas, mas é difícil fazer amigos de verdade pois só consigo mostrar quem realmente sou quando estou bem e isso raramente acontece. Tenho medo de responder mensagens e só faço isso quando me sinto realmente pronta, do contrário, eu iria pensar que estou sendo intrusiva, que a pessoa não gosta de mim e que eu iria acabar lhe afastando da minha vida pois é muito difícil lidar comigo; parece bobagem, mas tenho medo de perder amigos mesmo antes de fazê-los.

Chega uma hora que você aprende a canalizar a sua ansiedade ou controlá-la, mas mesmo após concluir a minha lista de tarefas (se exercitar, assistir TV, ler 20 páginas), ainda tenho aqueles velhos pensamentos de que não sou boa o suficiente.

Quando serei boa o suficiente?

Estou em constante movimento, fazendo coisas produtivas ou autodestrutivas, a depender da quantidade de sono que tive na noite anterior, do dia, do alinhamento da Terra com Marte, em suma, estou sempre dependendo de algo. Ter ansiedade extrema é aprender a lidar com as vozes na sua cabeça que dizem que você não é bom o suficiente ou que não fez nada produtivo no dia, que você não vale nada; é aprender a dizer “eu preciso de ajuda” e isso requer muito de uma pessoa, porque quando você tem esse tipo de ansiedade, acaba se sentindo muito culpada por estar nesta situação, apesar de saber que está fazendo o máximo de esforço possível para sair dela, como por exemplo, confiar em um amigo e falar sobre o assunto, mesmo que morrendo de medo de ser taxada de louca. Sinto a necessidade constante de provar que mereço estar nesse mundo e preciso lutar contra isso, bem como validar meus próprios sentimentos.

Ter ansiedade é encontrar sua própria humanidade nas suas fraquezas, é permitir que a sua energia o inspire em vez de derrubá-lo. É uma maneira de viver com uma companheira constante que às vezes você enterra bem fundo, mas cedo ou tarde sabe que terá que enfrentá-la novamente.

O primeiro passo é olhar para ela e chamá-la pelo nome, embora pareça, ela não é um monstro de sete cabeças. Ter ansiedade extrema pode ser uma consequência natural de um estilo de vida agitado. O que vem primeiro, a ansiedade ou os seus deveres? Estou sempre em movimento por que tenho ansiedade? Ou tenho ansiedade por que sempre estou em movimento?

De qualquer forma, essa não é uma maneira nobre de sofrer. Só porque você está sempre em movimento, não significa que você seja feliz! Não se sinta culpado por desacelerar um pouco, respirar e aproveitar as coisas como elas são.

About the Author Psiconlinebrasil

Tudo sobre psicologia e comportamento.

follow me on: