Psiconlinews
Shares

17 grandes ideias para lidar com crianças e adolescentes com TDAH

Shares

tdah

1. Reduza os atrasos e comunique o tempo:

  • Se possível, reduza ao mínimo os tempos de espera.
  • Use timers, relógios, controladores de tempo ou outros dispositivos que mostrem o tempo quando houver limites de tempo para a realização de tarefas.





2. Comunique informações importantes:

  • Coloque lembretes, dicas, sugestões e outras informações-chave em pontos críticos no local para lembrar à criança ou ao adolescente o que deve ser feito.

3. Trabalhe a motivação:

  • Use sistemas de símbolos, programas de recompensa, privilégios ou outros reforçadores para ajudar a motivar a criança ou o adolescente com TDAH.





4. Trabalhe na resolução dos problemas:

  • Tente reduzir os problemas mentais a problemas físicos ou tarefas manuais, em que as peças do problema possam ser manipuladas para se encontrar soluções ou criar novas ideias.

5. Use o retorno imediato:

  • Aja rapidamente após o comportamento para proporcionar um retorno positivo ou negativo imediato.

6. Aumente a  responsabilidade em relação aos outros:

  • Faça a criança ou o adolescente ser explicitamente responsável por alguém durante o dia (ou durante alguma tarefa ou local) quando for preciso.





7. Use recompensas mais visíveis e artificiais:

  • As crianças e adolescentes com TDAH necessitam de incentivos mais fortes para motivá-los a fazer o que os outros fazem com pouca motivação externa por parte de outras pessoas.
  • Você pode precisar usar recompensas como alimentos, brinquedos, privilégios, símbolos, dinheiro ou outros materiais para ajudar a motivá-los a trabalhar.

8. Mude periodicamente de recompensa:

  • As pessoas com TDAH parecem se entediar facilmente com algumas recompensas, por isto, ocasionalmente você poderá precisar encontrar novas recompensas para manter o programa interessante.

9. Toque mais, fale menos:

Quando você precisar dar uma instrução, aprovação ou reprimenda:

  • Vá até a criança ou adolescente.
  • Toque-o na mão, no braço ou no ombro.
  • Olhe-o nos olhos.
  • Declare brevemente o que quer comunicar.
  • Depois encoraje a criança ou adolescente a repetir o que você acabou de dizer.

10. Aja, não fale demais:

  • Proporcione consequências mais imediatas para lidar com o bom e o mau comportamento em vez de ficar “falando sem parar no assunto”, resmungando ou fazendo longos discursos moralizadores sobre o problema.

11. Negocie em vez de impor:

Siga estes seis passos para uma negociação efetiva do problema:

  • Defina o problema: escreva-o e mantenha os membros da família informados da tarefa.
  • Gere uma lista de todas as possíveis soluções. (Não são permitidas críticas neste estágio).
  • Depois que todas as soluções tiverem sido listadas, deixe cada pessoa criticar brevemente cada possibilidade.
  • Escolha a opção mais agradável.
  • Torne a opção escolhida um contrato de comportamento (todos os membros da família devem assiná-lo).
  • Estabeleça penalidades pela quebra do contrato.

12. Conserve seu senso de humor:

  • Descubra o humor, a ironia, a frivolidade ou as coisas cômicas que acontecem na vida diária e sorria com o seu filho sobre isso.

13. Use as recompensas antes da punição:

Você quer mudar um comportamento problemático?

  • Identifique o comportamento positivo ou pró-social que você quer para substituir o comportamento problemático.
  • Recompense generosamente (elogie, aprove) o novo comportamento toda vez que observá-lo.
  • Após uma semana fazendo isto, use uma punição leve (uma saída, a perda de um símbolo ou privilégio) quando o comportamento problemático alternativo ocorrer.

14. Antecipe os ambientes problemáticos (especialmente para crianças pequenas) e elabore um plano de transição:

  • Antes de iniciar uma nova atividade ou antes de entrar em um novo lugar, pare!
  • Reveja duas ou três regras que a criança precisa obedecer.
  • Faça a criança repetir as regras.
  • Estabeleça um incentivo ou recompensa.
  • Estabeleça a punição que será usada.
  • Dê à criança algo ativo para fazer na tarefa ou no novo local.
  • Comece a tarefa (ou entre no novo local) e então siga o seu plano.
  • Recompense-a durante toda a tarefa ou atividade.

15. Mantenha um senso de prioridades:

  • Siga aquele ditado popular “Não se desgaste por pouco”. Grande parte do que pedimos às crianças ou adolescentes fazerem são coisas pouco importantes e tediosas no esquema maior do seu desenvolvimento.
  • Concentre seus esforços nas atividades e tarefas importantes, que mais importam a longo prazo (escola, relação com os pares, etc.), e não nas tarefas menores, menos importantes (limpar, catar coisas, etc.), que pouco contribuem para o desenvolvimento a longo prazo.

16. Mantenha uma perspectiva da deficiência:

  • O TDAH é um transtorno neurogenético; seu filho não escolheu ser assim.

17. Pratique o perdão:

  • Pratique o perdão (de seu filho, de você mesmo ou dos outros que possam interpretar mal o comportamento de seu filho).

 

About the Author Psiconlinebrasil

Tudo sobre psicologia e comportamento.

follow me on: