5 diferenças entre o estresse e a ansiedade que todos deveriam saber

Shares
Muitas palavras do “dicionário psicológico” tornaram-se parte da cultura popular, por isso não é incomum ouvir frases como “estou estressado” ou “tenho ansiedade”. Muitas vezes, até mesmo os médicos e outros profissionais de saúde usam os termos como sinônimos, embora não sejam o mesmo fenômeno.





O problema é que tanto o estresse quanto a ansiedade causam os mesmos sintomas, por isso nem sempre é fácil reconhecer as diferenças entre um estado e outro. De fato, tanto a ansiedade quanto o estresse são respostas adaptativas ao meio ambiente. O problema surge quando esses estados são mantidos ao longo do tempo.

O que diferencia o estresse da ansiedade?





1. A causa do estresse é facilmente identificável, mas da ansiedade não. Como uma regra geral, o estresse ocorre na presença de fatores estressantes, tais como: excesso de trabalho, um término de relacionamento, conflitos interpessoais ou problemas de doença. A ansiedade, ao contrário, é um estado de caráter mais difuso, que continua presente, mesmo que o fator estressante seja eliminado. Na prática, sabemos que o estresse ocorre porque há uma ou mais situações que nos preocupam, mas é mais difícil de determinar o que provoca uma ansiedade .
2. A ansiedade provém do medo, o estresse da preocupação. Outra diferença entre o estresse e a ansiedade está nos sentimentos e sensações que geram ambos os estados. Embora possam parecer idênticas, à primeira vista, a verdade é que a ansiedade age como uma bola de neve e tende a tornar-se um medo generalizado, cuja expressão mais elevada são os ataques de pânico. Ao contrário, quando sofremos de estresse, o fator desencadeante da preocupação geralmente gira em torno de uma situação específica. Na ansiedade, essas preocupações são mais vagas.
3. A ansiedade é excesso de futuro, o estresse é excesso de presente. Uma diferença entre o estresse e a ansiedade é a sua projeção no tempo. A ansiedade é, geralmente, uma resposta à antecipação de situações, de ideias de que algo ruim irá acontecer, por isso, é como um olhar aterrorizado para o futuro, um medo de algo que ainda não aconteceu. Na verdade, o medo de sentir-se ansioso é um dos principais fatores que desencadeia ansiedade.
Já o estresse é, muitas vezes, excesso de presente, pois geralmente é acompanhado pela sensação de ser incapaz de lidar com as situações que estamos vivenciando, é acionado quando não temos recursos para lidar com determinado evento. Um exemplo muito simples de entender a diferença: a pessoa fica estressada quando está atrasada para uma reunião importante e derrama um copo de café na roupa ao sair de casa, por outro lado, ela sofreria de ansiedade se ficasse continuamente preocupada com a possibilidade de que o copo de café pudesse cair a qualquer momento de sua mão.





4. O estresse geralmente é causado por fatores externos, a ansiedade é alimentada por fatores internos. Embora seja difícil fazer uma distinção entre fatores internos e externos, o estresse geralmente é o resultado de eventos que nos sentimos incapazes de lidar. É causado por uma situação externa que escapa do nosso controle. Por outro lado, a ansiedade se alimenta de fatores mais internos, pois envolve uma antecipação agonizante de eventos que ainda não aconteceram, é uma antecipação de pensamentos catastróficos. A diferença entre fatores internos e externos é importante, pois se você sabe exatamente a origem da sua preocupação, poderá tomar as medidas necessárias para lidar com o problema.
5. O estresse desaparece com o fim da situação estressante, a ansiedade geralmente perdura. Geralmente, quando a situação que nos preocupa é resolvida, o estresse desaparece ou pelo menos diminui. Por exemplo, quando finalmente terminamos um projeto e o entregamos, nos livramos daquela pesada carga de estresse que estávamos carregando nos ombros. Mas com a ansiedade é diferente, pois não sendo causada por um único evento, às vezes é necessário recorrer à terapia psicológica para aprendermos a lidar com este estado e eliminarmos suas causas.

Quando se preocupar?

 É importante sabermos que o estresse positivo não é prejudicial. Ele nos dá uma dose extra de energia que precisamos para enfrentar alguma tarefa futura. A ansiedade também não é negativa, esse estado de apreensão toma lugar principalmente quando nos sentimos vulneráveis, ela também prepara o nosso corpo para a ação. Essa é a razão pela qual ambos os estados geram um aumento da freqüência cardíaca, um aumento na adrenalina e causa tensão muscular.
O problema começa quando esses estados, que devem ser temporários, se tornam constantes. Neste caso, o nosso corpo ficará sobrecarregado e os sistemas endócrinos e nervosos começarão a dar os primeiros sinais de saturação ou podem até mesmo entrar em colapso.
Portanto, embora sejam respostas normais a certas situações, é importante resolvê-los o mais rápido possível. Na verdade, em muitos casos, quando o estresse é mantido por um longo tempo, pode tornar-se ansioso, o que pode acabar causando ataques de pânico e limitando severamente a vida da pessoa.

About the Author Psiconlinebrasil

Tudo sobre psicologia e comportamento.

follow me on: