Psiconlinews
Shares

Perfil de um agressor psicológico: 21 características comuns

Shares

Como é a mente do agressor psicológico e o que pode levá-lo a agir assim?

Infelizmente, o abuso emocional pode acontecer tanto nas relações interpessoais como na família, entre o casal, entre colegas de escola (bullying) ou no trabalho (assédio moral).






Os maus tratos emocionais são muito comuns e menos visíveis do que os físicos. Neste artigo, vamos rever as principais características de um agressor psicológico.

  • O abuso psicológico provoca graves problemas mentais na vítima

O abuso psicológico pode ser silencioso às vezes, mas é devastador para a pessoa que o sofre. A baixa autoestima pode ser tanto uma causa como uma consequência para a manifestação desse fenômeno, mas, a pessoa que é a vítima de abuso emocional, muitas vezes acaba tendo problemas sérios como estresse, ansiedade, depressão e até mesmo a dependência de substâncias psicoativas.

Mas como são os agressores? Que características apresentam? Você vai ler agora uma lista das características e hábitos mais comuns dos agressores:





1. São intolerantes

As pessoas intolerantes não respeitam as opiniões, atitudes ou comportamentos dos outros. São pessoas cheias de preconceitos. Isso faz com que reajam agressivamente, de forma ressentida ou pouco educada, porque acreditam que não há nenhuma razão para impedir que a sua própria vontade prevaleça. Muitas vezes são sexistas.

2. São encantadoras, a princípio

Essas pessoas não se mostram intolerantes de início, elas são encantadoras nas fases iniciais da relação. Elas sabem como se comportar e o seu verdadeiro “eu” pode demorar algum tempo até aparecer. À medida que a confiança da outra pessoa aumenta, mostram então o comportamento destrutivo.

3. São autoritários

Os abusadores são autoritários porque possuem características antidemocráticas e intransigentes. São amantes da ordem, mas com base no seu critério pessoal. Não importa se estão certos ou não, se não os obedecerem, ficarão bravos.

4. São psicologicamente rígidos

Estes indivíduos têm um pensamento rígido e perseguem uma única verdade, a deles. Não são como as pessoas que conversam e buscam um consenso, eles temem ter que ceder às opiniões dos outros porque acreditam que só eles têm razão. Tudo que não se encaixe com seu pensamento está errado, garantindo assim que a única verdade existente seja a sua.






Por outro lado, essas pessoas tendem a partir de categorias de pensamento relativamente rígidas e estancadas, o que facilita que empatizem muito pouco com os outros, inclusive quando há razões para isso.

5. Apresentam pensamento dicotômico

Como são pessoas psicologicamente rígidas, para elas tudo está certo ou tudo está errado, não há meio termo. Isto porque, geralmente, os agressores cresceram em famílias que os trataram assim.

6. São chantagistas

Essas pessoas sempre se comportam de acordo com os seus interesses e culpam, incomodam e provocam medo na vítima de chantagem. Fazem com que ela se sinta culpada por coisas que nem sequer fez ou coisas que fez, mas que não são necessariamente ruins ou graves.

7. Não fazem auto-crítica

Por serem psicologicamente rígidas e acreditarem que há só uma verdade,  não sabem lidar com as críticas. Isso acontece porque qualquer crítica é recebida como um ataque direto à sua identidade e à sua maneira de interpretar a realidade, não enxergam uma crítica como uma possibilidade de algo construtivo.

As vítimas de seus maus tratos pagam caro pela sua falta de  habilidade social e seu sentimento de fracasso, se tornando seu bode expiatório. E, claro, os agressores psicológicos não fazem auto-crítica, ou pelo menos não de forma sistemática, a menos que topem com uma experiência que os obrigam a fazer uma mudança radical no seu modo de ver as coisas.

8. Em vez disso, criticam

Além dessas pessoas não fazerem uma auto-crítica, elas têm facilidade de criticar os outros. Procuram defeitos nos outros e os esmagam emocionalmente com sua franqueza; são capazes até mesmo de inventar coisas só para fazer a vítima se sentir mal. Não se trata de uma crítica construtiva, mas de uma ação orientada que visa fazer alguém se sentir mal para desfrutar da sua reação ou para submetê-la.

9. Muda de humor em segundos

Mudanças de humor são comuns neste tipo de pessoa, que passam de um estado agradável ao de raiva ou fúria em questão de segundos. Assim, podem viver em dois extremos, de encantadoras a pessoas horríveis.

10. Se sentem ofendidas com facilidade

As mudanças de humor se dão, muitas vezes, por causa da sua hipersensibilidade, já que se ofendem facilmente. Já foi dito que se algo não se encaixa com a sua verdade, então está errado.

11. Desconectam a vítima

Isolar a vítima dos seus familiares e amigos é um dos objetivos pelos quais o agressor obriga a vítima a se submeter completamente. Sua ideia é fazer com que a vítima se sinta ameaçada e com medo de falar com outras pessoas.

12. São cruéis e insensíveis

Tais pessoas não só maltratam psicologicamente seus parceiros, muitas vezes também estendem este tipo de comportamento aos seus filhos, por exemplo. Elas podem, inclusive, infligir danos físicos a animais de estimação. São pessoas cruéis e insensíveis.

13. Não se arrependem

São pessoas que não se arrependem do que fazem e, como explicado na seção anterior, podem ter esse tipo de comportamento com outras pessoas. É por isso que, entre outras coisas, convém nos manter afastados de pessoas com esse perfil psicológico, já que sequer existe a possibilidade de se arrependerem de verdade.

14. Fazem falsas promessas

Embora possam até parecer arrependidos, geralmente esses indivíduos tendem a fazer falsas promessas. Eles até pedem desculpas mas, na realidade, não se arrependem. Suas promessas não têm nenhum valor porque, no mínimo, agirão da mesma maneira.

15. São controladoras

São pessoas que têm necessidade de se sentirem superiores e de controlar os outros, mas que no fundo são inseguras e escondem o medo de serem desmascaradas. Por isso, querem ter o controle de tudo, esta é a maneira que eles encontram para manter tudo bem preso a eles, não deixando escapar nada de suas mãos.

16. Não tem controle emocional

Apesar de querer controlar os outros, eles não têm controle emocional. Na verdade, muitos deles são pessoas totalmente analfabetas a nível emocional. Por isso, se comportam impulsivamente, sem pensar nas consequências.

17. Não se detém

Não têm grande capacidade de reflexão, são pessoas que não se detém por nada, para eles o fim justifica os meios. São pessoas que conseguem agir discretamente em lugares públicos, tornando a vida da vítima uma verdadeira provação.

18. São sedutoras

Muitas vezes, são pessoas encantadoras e querem conquistar sua vítima. Na verdade, são pessoas que seduzem facilmente.

19. São mentirosas

Obviamente, pessoas manipuladoras não são honestas. Isso as torna especialistas em contar mentiras. Na verdade, raramente dizem a verdade, porque elas estão  sempre pendentes a ferir a outra pessoa.

20. Se fazem de vítima

Como estão sempre culpando outra pessoa, muitas vezes se colocam no papel de vítima para justificar suas ações. Por exemplo, proferindo frases como: “Você não me quer, está sempre preferindo seus amigos”. As ações de dano psicológico são contínuas, mas não necessariamente diretas. Algumas vêm disfarçada de falso vitimismo.

21. Baixa empatia

As pessoas abusivas não são empáticas. O que isso significa? Elas não reconhecem as emoções dos outros nem se conectam com elas. Isto lhes permite fazer a vítima sofrer sem qualquer tipo de ressentimento.

About the Author Taiz de Souza

Apaixonada por psicologia, se dedica a pesquisar continuamente os assuntos mais atuais e variados relacionados a psicologia a fim partilhar artigos interessantes e confiáveis a todos que apreciam.

follow me on: