Psiconlinews
Shares

Um pouco sobre a polêmica animação “A festa da salsicha”

Shares

Passando os canais após a meia noite, me deparei com a polêmica do momento: “A festa da salsicha”.





Ainda não havia me manifestado sobre isso, então lá vai…
Para começar, nem toda animação é infantil. Assim como rosa não é só para meninas e carros não são só para meninos.
E então preciso sinalizar 3 pontos:

  1. A faixa etária está muito bem definida para acima de 16 anos (no canal da HBO, que foi parte da polêmica citada pelos pais).
  2. Não é um desenho que será passado à tarde (algo com horário fixo e diário) como dizem, mas sim um filme em animação que está na programação da HBO.
  3. O horário que vi? Por acaso 00:30h!!





Com essas 3 informações, posso imaginar que, se depender apenas delas, seu filho não verá a polêmica “A festa da salsicha”! Agora, se seu filho tem acesso ilimitado, irrestrito e sem supervisão na Internet, já não posso garantir isso. Se ele tem televisão no quarto com todos os canais desbloqueados, e vai dormir com celular debaixo do travesseiro, também não posso garantir muita coisa… Aliás, provavelmente esse será um dos conteúdos mais leves que ele verá!

Existem coisas infinitamente mais pesadas na TV do que essa animação. Mas vocês bloqueiam, correto? O “controle dos pais” em aparelhos de TV paga serve para isso! Se não o utilizam, chegou a hora de mudar de atitude!

Preciso também informar que, neste momento em que escrevo o texto (12:30h), está passando um filme que parece engraçado e tem zumbis. Parece inofensivo? Seu filho se interessaria? Pois ele tem algumas cenas pesadas, e provavelmente seu filho já  assistiu. Detalhe: também é para acima de 16 anos!!

Entendo perfeitamente que, por se tratar de uma animação, é algo mais atrativo para a criança e acabará aguçando sua curiosidade, mas criança precisa de educação. E faz parte da educação você orientar e privar (quando necessário) sobre o que é próprio para a idade dela ou não. E educar uma criança para ser um adulto de caráter, para ter uma saúde mental minimamente saudável, dá trabalho!!

As crianças de hoje são distraídas e dispensadas com televisão e celular!! E depois a culpa é de quem fez o filme?
Vamos acordar, pessoal!!

Tem formas de limitar o acesso da criança a inúmeras coisas na Internet e na TV! Procurem informações sobre isso ao invés de querer resolver tudo com a censura!! O mundo não pode parar para atender as expectativas de cada um de nós, até porque isso nem daria certo! Às vezes tenho a sensação de estarmos regredindo como sociedade… Fora a hipocrisia de limitar uma coisa, mas deixar outra completamente livre, sem parâmetro! Mas aí é uma questão de conceito individual, e cada um educa o filho como achar melhor, não é?





Algo que também precisamos entender é que não adianta colocar numa redoma, pois mesmo com todo cuidado do mundo dentro de casa e no seio familiar, a criança poderá assistir isso através de amigos.

Não, não é fácil.

Meu intuito com esse texto é tentar abrir os olhos de quem ainda não se permitiu parar para pensar de forma ampla, devido ao choque de ter visto esse filme em um horário que não imaginou que veria…

E não, não adianta falar para a criança não assistir “A festa da salsicha”, porque será um “tiro no pé”! Isso fará a criança despertar o interesse em assistir. Mas existem formas de falar sobre o assunto! Uma família que sempre dialoga, que preza pelo esclarecimento de dúvidas e inseguranças, sem tabus, será uma família com menos problemas desse tipo. Vejam bem, eu disse MENOS! Não disse nulo! Não temos controle sobre o mundo, sobre o tempo, sobre nossos filhos. Por isso, o melhor sempre será orientá-los de forma simples, sincera e honesta, na linguagem e no limite deles, para que sintam-se confortáveis e também ajam dessa forma conosco!

Corujices da Psi

About the Author Samira Oliveira

Meu nome é Samira Oliveira. Sou Pedagoga e Psicóloga. Possuo experiência em diferentes segmentos como: Educação, Recursos Humanos e Psicoterapia Clínica. O objetivo dos meus textos é trazer informação aos leitores, com uma linguagem de fácil compreensão sobre os principais temas dessas duas profissões tão importantes e infelizmente pouco valorizadas em muitas instâncias.

follow me on: