Vamos parar de romantizar o Dia das Crianças!

Shares

Vamos parar de romantizar o Dia das Crianças!





Muitas de nossas crianças passam por problemas sérios, por uma infância difícil, por abusos sexuais, verbais, são maltratadas por pessoas que deveriam ser sua base de confiança!!

Criança precisa ser criança. E precisa ser respeitada por isso!!

As crianças de hoje querem o celular de última geração. Por que será? Algumas dizem que os colegas têm, e por isso também querem ter. Mas que valores são esses??? Outras, veem os pais grudados nos celulares o dia todo, esse é o exemplo que têm, então querem também!
Já ouvi de uma criança que a mãe não trabalha, mas “passa o dia olhando o celular”. Já ouvi de outra que a mãe trabalha muito, e quando está em casa fica “o tempo todo olhando o celular”. Essas mães estão junto aos seus filhos, no mesmo sofá, mas não os enxergam!!

Filho é coisa séria!





É fácil ter uma criança linda, perfeita, educada… Será? Ou  mesmo assim dá trabalho? Fato é que os pais criam expectativas naturais sobre como o filho será, e infelizmente na maioria das vezes elas não se concretizam. Porque são seres humanos, imperfeitos, falhos, e não são uma cópia dos pais!

Não há como romantizar ter um filho!! Não, não é fácil. Sim, dá trabalho. As pessoas só pensam nas coisas boas e, quando se deparam com a realidade, algumas se desesperam e outras simplesmente deixam nas mãos dos avós a criação de fato.

Criança precisa ser criança.
Enquanto você trabalha, estuda e sai para a balada, tem um “serzinho” que depende de você. E mais: esse “serzinho” também cria expectativas sobre você!
Sua criança é exigente e materialista? Pense no exemplo que você dá em casa.
Sua criança é agressiva? Pense se algo mudou sua rotina, se você tem dado atenção suficiente, se não há problema na escola, se algum parente está fazendo algo que não devia…
A maior parte dos abusos acontece dentro de casa, por pessoas de confiança. Já avaliou em quem você “confia”? Todo cuidado é pouco quando se trata de uma criança!

Sua criança mudou o comportamento? Pense, repense, ouça sua opinião. Não encontre culpados externos – isso é bem mais fácil. Procure em você mesmo o que pode ser melhorado.

Não critique corpo, forma de vestir de uma criança! Isso mexe com sua autoestima de forma quase irreparável!!

Seu filho conta mentiras para chamar a atenção das pessoas? Preste atenção nisso. Algo está acontecendo, e ele está precisando “descontar” o que falta.





E não venha dizer que criança não mente, porque mente sim!! E isso não é necessariamente falha de caráter, mas é algo a ser conversado com ela para que não se torne uma problema mais tarde!

Quando alguém contar que seu filho agiu errado, não finja que não ouviu. Não pense que é besteira. Existem coisas que passam desapercebidas até a fase adulta, e aí os responsáveis se perguntam “como isso aconteceu”.

Mostre a ela que pode confiar em você. Quando vier contar algo, ouça com atenção. Não diga simplesmente que é besteira. Se for uma besteira, faça a criança pensar sobre isso, aponte fatos e exemplos, e mostre que pode e deve pensar em outra coisa.

Quando falar sobre ela, observe se ela está por perto. Você acha que ela não entende, mas não é bem assim. E também pense se é necessário fazer certos comentários, pois certas coisas não devem ser expostas a terceiros.

A criança errou, diga que errou. Seres humanos não são perfeitos. As crianças precisam saber disso e conviver com isso! É aprender que erra, que precisa pedir desculpas, que a vida não é fazer o que quer quando bem entende. Frustração sim!! Isso a fará mais forte! Isso a transformará num adulto resiliente!

Por que o medo de negar algo ao seu filho? Acha que ele não o amará mais?

Pois tenho 2 coisas a dizer: a primeira é que isso é um problema seu que precisa de atenção específica, e seria ótimo que você fizesse uma psicoterapia; a segunda é que criança quer se sentir segura, e se ela erra e os responsáveis estão ali para apontar o erro e para ajudá-la a melhorar, provavelmente ela os amará ainda mais.

Cuidado com o que fala e o que defende. A criança pode ouvir e ter medo de ser julgada ao contar a você.

Sua criança pode estar passando por problemas, enquanto você está preocupado com o filho da vizinha…

Vamos parar de dar presentes como se substituísse a presença. Isso é o famoso “tampar o sol com peneira”. Criança precisa de atenção, amor, carinho e educação.

Uma criança segura de que é amada não deprime facilmente com qualquer frustração.

O amor de pai e mãe são insubstituíveis na vida de uma criança. Se ela não o tem, com certeza será um prejuízo.

As frases feitas parecem muito fofas, mas nem sempre condizem com a realidade. Dizer para “manter viva a sua criança interior” pode ser triste para um adulto que teve uma infância ruim. Existem adultos que jamais trocariam a vida adulta pela de criança.

Então vamos parar de romantizar o Dia das Crianças!

Obs.:

Lembrando somente que algumas coisas, é claro, dependem da faixa etária, da própria estrutura emocional da criança, de seu histórico. Não é receita de bolo (até porque nem sempre seguir a receita garante o bolo perfeito), mas são algumas questões que observo em minha prática e considero importantíssimas para a dinâmica familiar.

Corujices da Psi

About the Author Samira Oliveira

Meu nome é Samira Oliveira. Sou Pedagoga e Psicóloga. Possuo experiência em diferentes segmentos como: Educação, Recursos Humanos e Psicoterapia Clínica. O objetivo dos meus textos é trazer informação aos leitores, com uma linguagem de fácil compreensão sobre os principais temas dessas duas profissões tão importantes e infelizmente pouco valorizadas em muitas instâncias.

follow me on: