8 atitudes essencias para uma vida mais feliz

Shares
8 atitudes essencias para uma vida mais feliz - agradeca e seja mais feliz ame sua vida - 8 atitudes essencias para uma vida mais feliz

Você já encontrou algo que escreveu há muito tempo e, ao lê-lo, sentiu que a sua sabedoria parecia soar mais verdadeira hoje do que naquela época? Isso aconteceu comigo recentemente, quando encontrei algumas anotações de uma oficina que eu costumava conduzir. Elas me fizeram perceber que, quanto mais eu aprendo, mais complico as coisas.






Estes lembretes importantes dos meus tempos de oficina são coisas simples, mas se encaixam na minha vida atual. O texto muda, mas a sabedoria permanece a mesma. Se você estiver se sentindo para baixo,  qualquer coisa pode servir como uma pérola de sabedoria ao lembrá-lo do que você provavelmente já sabe. Você não precisa saber de mais nada. Para recuperar a paz, você só precisa se lembrar.
1. Respire. Parece simples, mas muitos de nós se esquecem de fazê-lo. Literalmente, o estresse nos faz respirar rápido e não recebemos oxigênio suficiente. Então, respire. Faça algumas respirações profundas. Assim você enriquece o seu cérebro com oxigênio, isso o ajudará a elaborar soluções.
2. Olhe para dentro. Não tenha medo de olhar para dentro de si mesmo para tentar entender o que você está sentindo. Às vezes ficamos tão envolvidos em todas as nossas responsabilidades que entramos em piloto automático e apenas reagimos. Mas, então, o tempo passa e nos esquecemos de sentir, achando que isso é um prazer egoísta. Não é. Sentimentos não desaparecem só porque você não os reconhece: eles se movem. Sentimentos sem solução podem se manifestar de várias maneiras-como doenças físicas (dores de cabeça, de estômago ou dores nas costas) ou hábitos prejudiciais (consumo, compras compulsivas, transtornos alimentares). É quando nos afastamos de nossos sentimentos, de nós mesmos, que os problemas surgem. E então nós não somos bons para ninguém. Tudo o que você precisa fazer é reconhecer o que você está sentindo e honrar seus sentimentos. É por isso que compartilhar o que você sente para um conselheiro, seja através da fala ou da escrita, é tão útil.
3. Se liberte do crítico interior. Esta é provavelmente uma das coisas mais difíceis para nós, porque estamos condicionados a fazer isso. Nós julgamos. Nós julgamos uns aos outros e julgamos a nós mesmos, provavelmente ainda mais duramente. Pense nisso: O que você diz a si mesmo o dia todo? O que o seu crítico interior diz quando você está atrasado ou quando o projeto falhou? E quando você se olha no espelho? Lembre-se de como os sentimentos se movem? Bem, nosso crítico interno cria um monte de sentimentos: medo, insegurança, vergonha, tristeza, solidão. Acalme o crítico e você vai economizar um monte de dor.
4. Aproveite os bons momentos. Alguns de nós sentem que merecem sofrer. Ou que a dor, de alguma forma, nos torna pessoas melhores. Isso se deve a um monte de histórias que ouvimos na infância -Cinderela e Bela Adormecida, mas também Rocky, Batman, e outros que sofreram muito antes de conseguir dar a ´´volta por cima´´. Essas histórias ajudam a moldar a forma como olhamos para o sofrimento em nossas vidas. Às vezes nos apegamos ao sofrimento, sem perceber que estamos negando a nós mesmos a chance de experimentar a alegria. Ao fazermos isso, entorpecemos a vida. Você não será um hedonista egocêntrico se experimentar a alegria real. A vida é cheia de altos e baixos- mas não tenha medo de experimentar os momentos altos. Você merece isso. Respeite a si mesmo.
5. Respeite os outros. Respeitando a si mesmo, você pode respeitar os outros; porque, o modo como você se trata, muitas vezes, reflete como você trata os outros. Por exemplo, você vai se sentir mais confortável com os sentimentos dos outros quando estiver se sentindo mais confortável com seus próprios sentimentos. Talvez a melhor maneira que você pode respeitar alguém é estar confortável com os seus sentimentos.
6. Se acalme. Mesmo que você tenha vivido pouco, já deve ter se machucado. Todo mundo se machuca. E por isso desenvolvemos cicatrizes, medos e gatilhos para nos proteger de mais dor. Às vezes, esses gatilhos podem criar reações irracionais. Por exemplo, um gatilho pode trazer à tona sentimentos de pânico quando alguém diz exatamente a mesma frase usada por um assaltante antes de roubá-lo. Por outro lado, uma pessoa, um som, ou um cheiro, também pode lembrá-lo de tempos mais felizes. Gatilhos são normais, mas se tornam um problema quando interferem nas relações, nos fazendo reagir a eventos anteriores, no lugar do evento que acontece no presente. O que mais precisamos nestas situações é se acalmar. Entender seus sentimentos, gatilhos e se acalmar. Reconhecer que, emocionalmente, dois eventos estão ocorrendo simultaneamente para você, um passado e um presente. Respire fundo e compartilhe isso com outra pessoa se sentir segura.




7. Preste atenção. O verdadeiro ouvir é uma arte perdida. Isso explica por que tantas pessoas se sentem ofendidas e ficam na defensiva. Quando as pessoas simplesmente não se sentem compreendidas, até mesmo a simples comunicação se torna uma luta. Todos nós somos culpados por interromper, presumir que sabemos o que alguém quer dizer, ou apenas nos dispersamos quando alguém está falando. A chave é fazer uma conexão com o outro e realmente se concentrar no que ele ou ela está dizendo. Observe as suas expressões faciais. Ouça os seus sentimentos. Você é menos propenso a interromper, ou pensar sobre sua própria resposta, quando está completamente focado no que a outra pessoa está dizendo ou sentindo.
8. Entenda os fusos horários. É muito fácil esquecer onde as pessoas estão e o que elas estão
fazendo. Qualquer mensagem não retornada parece um sinal. Por outro lado, muito contato com alguém pode ficar chato. A realidade: Estamos todos em fusos horários diferentes, com prazos, responsabilidades, exigências e níveis de energia também diferentes. Algumas pessoas vão sempre ser mais ocupadas do que outras. Pense nisso: Você já teve tempo em suas mãos e decidiu estender a mão para ajudar algumas pessoas? Você se sentiu um pouco magoado quando elas não retribuíram a gentileza? E quando você estava tão ocupado que não pôde retornar a ligação de um ente querido por duas semanas? Tente ser mais compreensivo com as diferentes disponibilidades das pessoas e você vai ser mais feliz.

Fonte: PsychologyToday traduzido e adaptado por Psiconlinews

About the Author Psiconlinebrasil

Tudo sobre psicologia e comportamento.

follow me on:

Leave a Comment: