Como a leitura pode mudar você drasticamente

Shares
leitura Como a leitura pode mudar você drasticamente - 182 - Como a leitura pode mudar você drasticamente
A leitura pode abrir a sua mente e mudar profundamente a sua personalidade, afirmam estudiosos.
William James disse há mais de 100 anos atrás: ´´A personalidade é gravada na pedra até os 30 anos.´´
Mas, apesar da proliferação de publicações nas décadas seguintes que contrariam esta afirmação, o mito permanece firmemente no lugar. Não só muitos acreditam que a personalidade é fixa depois dos 30 anos de idade, até mesmo que, segundo alguns estudiosos, a personalidade é pré-determinada pela genética.



Tudo isso seria muito bem se você gostasse da sua personalidade, assim como ela é. No entanto, as chances são muito boas de que você gostaria de ajustar algumas coisas. Assim como muitos de nós desejamos que pudéssemos estar mais aptos fisicamente, mais inteligentes ou mais bem-sucedidos no amor, também buscamos melhorar nossas personalidades.
Alguns traços de personalidade tornam a vida particularmente difícil. Um traço de introversão pode ter benefícios significativos, mas introvertidos também podem ter dificuldades em avançar num mundo profissional que recompense o seu oposto, a extroversão.
Outras características também têm prós e contras: Você pode ser altamente agradável, tornando-o uma pessoa que os outros gostem de ter ao redor. Mas, se você é muito agradável, pode se encontrar levado pelos outros; até mesmo quem é querido por todos pode desejar ser menos afável. E, ao contrário, se você é mal-humorado e rabugento, pode estar procurando maneiras de ser mais simpático.
Abertura à experiência é o quinto dos cinco maiores traços de personalidade que os psicólogos acreditam que compõem nossas disposições básicas. Ser alto nesta qualidade, como o termo sugere, pode torná-lo intelectualmente curioso e flexível. Por outro lado, se você for muito aberto a experiências, pode se tornar inquieto e descontente com o status quo.
As pessoas que acreditam no mito da personalidade-escrita-em-pedra podem avaliar os seus próprios traços de personalidade como uma prisão para o resto de suas vidas.
Você vai ficar feliz em saber que pode haver esperança.
Os pesquisadores Maja Djikic e Keith Oatley, da universidade de Toronto, decidiram abordar a questão de ´se´ e ´como´ a leitura de ficção pode alterar a personalidade. Em uma revisão fascinante de um campo emergente de pesquisa, eles propõem que existem formas específicas em que a ficção pode envolver os leitores de forma a melhorar as qualidades de personalidade importantes.
Uma qualidade de personalidade reforçada pela literatura é a empatia, a capacidade de compreender o ponto de vista de outra pessoa. Apesar de não ser um dos 5 maiores traços de personalidade, a empatia está amarrada em nossas maneiras básicas de se relacionar com os outros, incluindo os nossos parceiros íntimos. A empatia também está relacionada à abertura de experiência, uma vez que quanto mais aberto você estiver com suas próprias experiências, mais capaz você será de sentir e imaginar o mundo experiencial dos outros.



Djikic e Oatley concluíram que as pessoas que leem mais ficção também são melhores na leitura de emoções de outras pessoas. Não é que as pessoas empáticas leem mais, mas que a leitura promove a empatia.
Romances são os mais propensos a promover empatia, enquanto os de ficção científica são os menos.
Estudos de correlação não podem determinar causa e efeito, embora haja o controle de personalidade pré-existente. Entrando no campo experimental, alguns estudos têm examinado as pontuações de empatia das pessoas depois de lerem ficção narrativa. Elas não só se tornam mais empáticas, em termos de serem capazes de interpretar emoções de outras pessoas, mas também agem de forma mais altruístas. Pessoas de baixa abertura à experiência, especificamente, também se tornam mais empáticas após a leitura de ficção, mas não depois de lerem peças de não-ficção de curta duração.
De acordo com a análise de Djikic e Oatley, há três aspectos da arte na literatura que podem afetar, de maneira profunda, as mudanças na personalidade:

A ficção literária nos coloca dentro das mentes dos outros. A ficção nos dá a oportunidade de explorar o mundo subjetivo de seus personagens. A leitura de ficção lhe dá conhecimentos sociais, assim como ler sobre ciência ou história lhe permite ganhar conhecimentos nessas áreas. A literatura pode desestabilizar temporariamente a personalidade. O estilo, as expressões figurativas, e as formas de envolver o leitor completamente ajudam a colocar os leitores numa montanha russa emocional, semelhante ao que eles experimentariam se fossem os protagonistas do enredo. Como a dança ou a música, uma ficção narrativa bem escrita pode colocá-lo em um estado de espírito que lhe permite abrir-se a experiências internas. A literatura artística é um método de comunicação indireta. Ao contrário da publicidade, da escrita científica, ou da propaganda, a literatura artística oferece pistas e convida o leitor a tirar suas próprias conclusões. Ao envolver o leitor a fazer inferências sobre o que personagens de suas histórias estão sentindo, a literatura artística é muito parecida com uma conversa. É através da conversa com outras pessoas que aprendemos a entender como e por que as pessoas se sentem; a literatura opera nos mesmos princípios.

Se você já é um leitor ávido de ficção, os resultados da análise de Djikic e Oatley provavelmente não irão surpreendê-lo. O prazer de explorar os estados mentais de outras pessoas é, provavelmente, o que o leva a ser um leitor ávido de ficção.
Nós ainda não sabemos se ler ficção pode alterar diretamente outros traços de personalidade, ou como isso afeta a abertura à experiência. No entanto, extrapolando desta área contínua e importante da pesquisa, parece plausível que os “desestabilização”, que esses pesquisadores falam sobre, pudesse se espalhar para outras áreas da personalidade além da empatia.
Aprender sobre os estados internos dos outros através da leitura de ficção pode levar-nos a explorar o nosso próprio eu e, no processo, alterar as partes de nós mesmos que não gostamos. Ao se tornar mais aberto e consciente dos sentimentos das outras pessoas, através da empatia, também pode ser possível encontrar a realização que você procura nos seus relacionamentos de longo prazo.
Fonte: Psychology Today traduzido e adaptado por Psiconlinews

About the Author Psiconlinebrasil

Tudo sobre psicologia e comportamento.

follow me on:

Leave a Comment:

2 comments
Add Your Reply