Procrastinar: Deixando a vida para depois

Shares

procrastinar - 95ovay37l3pyaw4u7fr9sf7fi - Procrastinar: Deixando a vida para depois

Até que ponto estamos definitivamente sabendo viver, em vez de simplesmente sobreviver? Será que os dois se equivalem, ou a qualidade de vida de um ser humano está ligada diretamente à maneira que o mesmo vive? Uns talvez acreditem que dinheiro traz felicidade, e muitos afirmam que a realização dos sonhos é um fator crucial de felicidade. Mas por que às vezes temos a sensação de que nada está sendo feito da maneira correta? Por que chegamos a pensar que a nossa vida não tem sentido?





Se você parar para analisar, vai perceber que o ser humano está sob constante espera. Esperamos para nascer. Esperamos crescer. Esperamos sair da escola para trabalhar. Esperamos ter um emprego dos sonhos depois de uma graduação. Esperamos encontrar o amor da nossa vida. Esperamos constituir uma família. Esperamos o salário do fim do mês. Esperamos e esperamos e esperamos. As nossas ações se justificam por uma ânsia de atingir um objetivo futuro, e por trás desses planos a espera se camufla.
O indivíduo, desde muito jovem aprende a procrastinar as coisas. Procrastinar é basicamente o ato de deixar para fazer as coisas no último instante. Adiar as coisas. Quem aqui nunca deixou para estudar para uma prova horas antes de realiza-la? Ou para resolver um problema depois?  É aquela velha história de que se pode fazer amanhã, para que fazer hoje?
O problema que há em procrastinar se concentra basicamente no ato de deixar de fazer algo, pensando em outras coisas que talvez não sejam tão importantes assim para a nossa vida. Um casal que deseja ter filhos por exemplo. Quem nunca ouviu aquela história de que só após uma estabilização financeira positiva, juntamente com um desenvolvimento profissional almejado, será hora de constituir uma família? Não discordo com tal visão, porém se um casal sonha tanto em ter filhos, mas dá prioridade a outros sonhos, um dia eles acabam percebendo que deixaram o tempo passar e que perderam a oportunidade de constituir a tão sonhada família. Então eles têm dinheiro. Têm uma carreira. Mas não têm com quem dividir tudo isso. E aí surge a frustração.





O medo de não fazer as escolhas certas é o combustível perfeito para a procrastinação ser consumada. Constantemente dizemos que ainda não estamos preparados para isso, ou para aquilo, e vamos deixando o tempo passar e a vida vai escorrendo por entre os dedos. Nunca estaremos totalmente preparados para nada, porque convenhamos que a teoria nunca é como a prática. Sempre haverá coisas e mais coisas para se aprender. Tentar tornar-se perfeito para assumir uma nova vida, novas responsabilidades, sentir novos sabores e sensações, será em vão.
Devemos aprender a traçar um objetivo geral. O que de fato queremos para a nossa vida? Sabendo disso, é importante estabelecer os objetivos específicos, que são basicamente as metas que nos levarão a atingir o objetivo maior. Se nos conhecermos profundamente e sabermos definitivamente o que desejamos para a nossa vida, será o primeiro passo para dar início a uma era de vivência e não de apenas sobrevivência. Quem nunca ficou confuso? Quem nunca teve que escolher algo entre opções pelas quais jamais gostaria de abrir mão? Infelizmente não podemos ter tudo, mas devemos aprender a dar prioridade as coisas certas, para que no futuro haja uma parcela mínima de frustração e arrependimento.





Alguém deseja um dia perceber que não fez nada daquilo que realmente queria fazer? Quem quer descobrir um dia que nunca soube viver? Acho que ninguém. Aproveitar a vida é um remédio poderoso. E aproveitar não significa que devemos ter muito dinheiro, ou aquele carro dos sonhos, ou viver viajando o tempo todo, ou qualquer outra coisa do gênero. Aproveitar a vida é não deixar que pequenos e grandes problemas nos afetem drasticamente, a ponto de desistirmos de lutar por nossos sonhos. Aproveitar a vida é arriscar mais. Amadurecer com os erros. É deixar de ficar adiando as coisas, por receio. Ninguém sabe o verdadeiro sabor de uma fruta, sem ao menos prová-la.
Procrastinar pode ser um meio discreto de deixar o medo te impedir de aproveitar o que a vida tem bom. No fundo, você sabe que quando faz as coisas quando elas devem ser feitas, que quando você cumpre os prazos estabelecidos, ou cumpre uma meta, ou quando você encara algo que nunca encarou antes sem medo de arriscar, você se sente mais feliz. Por que agir nos dá autoconfiança, autoestima e sensação de prazer e de dever cumprido. Se quer dançar, então dance. Quer amar, então ame. Quer sorrir, então sorria. Quer comprar algo, então compre. Faça aquilo que deseja. Não dá para realizarmos todos os nossos desejos, mas devemos separar um tempo para nós mesmos. Refletir sobre nossos atos. Sobre nossas escolhas. Rever conceitos. Definir planos é importante.
A receita para uma vida mais significativa não existe. Cada um de nós sabemos o que nos faz feliz. Possuímos propósitos de vida distintos e é com base nesse propósito que devemos direcionar as nossas ações. Em suma, pare de adiar. Sua mente agradece.

About the Author Carolina Santos

Sou formada em Administração pela UFPE e apaixonada por Psicologia. Lido com a Depressão desde sete anos de idade. Sou apaixonada por leitura e escrita. E meu maior sonho é poder ajudar as pessoas através das minhas experiências de vida. Participem do meu grupo no Facebook: https://www.facebook.com/groups/1969510996617235/ Lá eu interajo mais com vocês sobre a Depressão Abraço :*

follow me on:

Leave a Comment:

1 comment
Add Your Reply