Crise Depressiva: Como eu me comporto

Shares

depressiva - worried - Crise Depressiva: Como eu me comporto

Como sabemos, a Depressão é uma doença crônica que apresenta diversos tipos de sintomas, dos quais variam de pessoa para pessoa. O que quero dizer é que se temos Depressão, não vamos, necessariamente, apresentar o mesmo comportamento. Por esse motivo irei detalhar para você leitor, os sintomas mais presentes em minha pessoa durante uma crise depressiva.


Assim como a maioria, eu sinto muita vontade de me isolar. Perco total interesse nas pessoas e no mundo lá fora. E principalmente não suporto ouvir dos outros que preciso de ajuda. Detesto ter aquela sensação de que estão se aproximando de mim por que estão com pena, entende? Sinto também um nó na garganta. Uma sensação de estar sendo sufocada e de que vou explodir a qualquer momento. Tem horas que sinto uma vontade imensa de chorar, enquanto que em outras eu me torno extremamente agressiva e desconto minhas frustrações em qualquer um que cruze meu caminho.
Nesse período eu sinto total perda de afeto pela vida. Passo as vinte quatro horas do dia pensando em como seria se eu não estivesse mais viva. Penso em formas variadas de tentar suicídio. E traço planos para isso. Me culpo pelos fracassos da minha vida no passado e tenho total desprezo pelo meu futuro, pois já não quero mais chegar até ele. Me sinto completamente sozinha e sem ninguém para poder desabafar e compartilhar meus medos e inseguranças. Durante a crise eu sinto que Deus me abandonou e que não está perto de mim em momento algum.


Passo a ter raiva e mágoa de tudo e de todos. Perco totalmente a autoestima e a autoconfiança. Já não enxergo nenhuma expectativa de vida. Todos os planos de vida que eu tinha parecem ter perdido o sentido. Fico olhando os jovens a minha volta super felizes e fico me questionando por que não sou como eles. Então sinto raiva de mim, sinto raiva dos meus pais por terem me trazido à vida e sinto raiva de completamente tudo que respira.
Nesse período eu desconfio de tudo e de todos. Tenho preguiça de conversar com as pessoas e sempre invento desculpas para não fazer nada que não seja ficar deitada na minha cama. Todas as manhãs eu sinto uma tristeza e um desânimo muito grande, pois a primeira coisa que se passa pela minha cabeça quando eu acordo é: “Ainda estou viva”.
Independente do quanto dure uma crise: uma semana, um mês, um ano, ou seja lá quanto tempo for, não há uma noite que eu não passe chorando. E nos momentos mais angustiantes, em meio aos soluços, eu chego a pedir desesperadamente para Deus que me leve desse mundo. Frequentemente me imagino cortando os pulsos ou enfiando uma faca na minha garganta. Ás vezes só tenho vontade de me cortar mesmo.


Para passar o tempo não há coisa melhor do que dormir e quando vou perceber estou passando mais tempo deitada do que acordada mesmo. Desse modo eu não me alimento direito, o que piora em muito a minha situação. Na crise meu dia se divide em dormir e pensar em suicídio. Eu sinto que sou uma peça a mais do quebra-cabeça e que não faço a menor diferença para ninguém. Simplesmente perco todas as esperanças e as forças para continuar lutando.
Sair da crise é um dos desafios maiores para que está dentro dela. Eu garanto isso, porque já passei por várias. Desde minha tentativa de suicídio, minhas crises sempre vêm de repente, quando eu menos espero, e com mais frequência, mas graças a Deus estou aprendendo a identifica-la antes que ela se manifeste, para evitar entrar num estado que ponha em risco de novo a minha vida. Espero que você tenha gostado de ler minha experiência com a Depressão. Saibas que não estás sozinho nunca. Eu sou a prova viva de que é possível conviver com a dor e sei que você também é. Estou aqui para te ajudar no que for preciso. Se quiser conversar mais sobre o assunto pode me mandar e-mail para o endereço krolina.3010@gmail.com. Estarei a sua disposição para o que precisar.
Contem-me sobre seus sentimentos durante uma crise depressiva. Estarei aguardando pelos seus comentários. Fiquem com Deus.

About the Author Carolina Santos

Sou formada em Administração pela UFPE e apaixonada por Psicologia. Lido com a Depressão desde sete anos de idade. Sou apaixonada por leitura e escrita. E meu maior sonho é poder ajudar as pessoas através das minhas experiências de vida. Participem do meu grupo no Facebook: https://www.facebook.com/groups/1969510996617235/ Lá eu interajo mais com vocês sobre a Depressão Abraço :*

follow me on:

Leave a Comment:

13 comments
Add Your Reply