Depressão ou Tristeza?

Shares

depressão - depress C3 A3o - Depressão ou Tristeza?

A Depressão tornou-se o mal do século e, por tal motivo, a maioria das pessoas acabam confundindo-a com tristeza. Para compreendermos melhor a distinção entre ambas, é fundamental que conheçamos bem os sintomas da tristeza e da Depressão propriamente dita.





A Depressão está muito associada ao sentimento de tristeza e choros compulsivos, contudo o maior erro das pessoas é acreditar que ela se restringe apenas a isso. E é em vista dessa visão muito limitada que alguns acabam acreditando que estão entrando em Depressão a partir do instante em que a tristeza surge, como se a mesma fosse algo incomum do ser humano e prejudicial.
“A tristeza é um estado afetivo desconfortável vivido com um sentimento de pesar, de dor psíquica e moral, geralmente relacionado a algo que contraria o que um indivíduo acredita almejar. Ela pode produzir sentimento de impotência, vontade de chorar, expectativa negativa quanto a eventos futuros, entre outros aspectos. A tristeza dá colorido à existência humana, sendo, portanto, um acontecimento normal (VERZTMAN, 2011). ”
Não existe tratamento para a tristeza, simplesmente porque tristeza não é doença. Qualquer ser humano está sujeito a senti-la. A tristeza é um sentimento momentâneo, considerado saudável e até importante pelos médicos. Senti-la ajuda na elaboração das perdas, ou sofrimentos ocasionais. As pessoas atingidas pela ocorrência de perdas, do emprego ou de entes queridos, atravessam uma fase de sofrimento e angústia, que pode se prolongar por um determinado período de tempo (cerca de 2 meses), e é simplesmente normal sentir-se assim. Porém, essa tristeza com o tempo vai diminuindo e a vida do indivíduo vai retomando ao ritmo normal (FIGUEIREDO, 2009).





Assim como sentimentos de Alegria, Medo, Felicidade, Decepção, Surpresa, e muitos outros, incluímos a tristeza. Portanto é de se entender que a mesma é um sentimento natural que faz parte da espécie humana, e não há porque se preocupar tanto. Mas em que situação eu posso começar a desconfiar da minha tristeza prolongada?
Quando a tristeza não passa, e começam a surgir sentimentos de apatia, indiferença, desesperança, falta de perspectivas ou prazer pela vida, saiba que esse é um sintoma claro de Depressão. Os sintomas podem aparecer ou desaparecer de maneira sutil e quase imperceptível, mas é importante saber que eles podem voltar. A depressão é doença séria e assim deve ser tratada (FIGUEIREDO, 2009).
A depressão foi classificada no Grupo das Doenças Afetivas. As doenças afetivas, são aquelas que apresentam uma evolução cíclica, em que se alternam períodos depressivos com fases de absoluta sanidade. Muitos acreditam que a Depressão é uma doença moderna, contudo Hipócrates, considerado o pai da medicina, descreveu seis doenças mentais, incluindo a Depressão, há aproximadamente 400 AC (FIGUEIREDO, 2009).
Depressão não é tristeza. É uma doença que precisa de tratamento. Aproximadamente 18% das pessoas irão apresentar Depressão em algum período da vida. A partir do instante em que o quadro se instala, é imprescindível buscar tratamento, pois caso o contrário, pode levar até meses para “desaparecer”. Depressão é também uma doença recorrente, isto é, quem já teve um episódio na vida, apresenta cerca de 50% de possibilidades de manifestar outro; quem teve dois, 70% e, no caso de três quadros bem caracterizados, esse número pode chegar a 90%. A depressão é uma patologia que afeta os mediadores bioquímicos envolvidos na condução dos estímulos por intermédio dos neurônios, que possuem prolongamentos que não se tocam. Entre um e outro, há um espaço livre chamado sinapse, absolutamente fundamental para a troca de substâncias químicas, íons e correntes elétricas. Tais substâncias trocadas na transmissão do impulso entre os neurônios, os neurotransmissores, vão modular a passagem do estímulo representado por sinais elétricos. Na depressão, há um comprometimento dos neurotransmissores responsáveis pelo funcionamento normal do cérebro (VARELLA, 2011).





Em boa parte dos casos, a Depressão normalmente produz perda de energia para agir, desânimo acentuado, dificuldade de concentração, pensamento circular em torno das mazelas humanas, desvalorização da autoimagem, entre outras características distintas da tristeza. É comum também ocorrer a modificação de algumas funções fisiológicas, como o sono (principalmente insônia) e o apetite (o mais comum é perdê-lo). Portanto, é preciso mencionar que a Depressão, ao contrário da tristeza, pode acarretar a presença de ideias sobre a própria morte e, em casos graves, a intenção de provocá-la (VERZTMAN, 2011).
Os sintomas da Depressão manifestam-se de uma forma branda em alguns casos, e é extremamente comum o paciente procurar um clínico-geral, com a falsa crença de estar com falta de vitaminas ou alguma doença mais grave. Outros, simplesmente acreditam ser apenas mais uma “fase ruim” e não procuram ajuda, provocando ainda mais o agravamento do problema. Indivíduos que apresentam quadros leves, raramente procuram tratamento (FIGUEIREDO, 2009).
Por fim, torna-se evidente que a tristeza é um dos sintomas que são apresentados durante a fase depressiva, porém não necessariamente ela determina que um indivíduo está ou não com a doença. Sentir-se triste profundamente é totalmente normal e faz parte da vida humana sentir-se assim. Contudo, torna-se importante prestar atenção nesse sentimento, quando muito prolongado e notar os outros sentimentos que se manifestam durante esse período, para que dessa forma possa ser identificado com mais precisão se o indivíduo está a penas triste, ou com início de Depressão.
Embora a tristeza seja algo comum e natural, é sim importante sempre estar atenta a ela, visto que a Depressão raramente recebe tratamento quando está no início. Assim como existem pessoas que estão tristes e acreditam estar com Depressão, existem aquelas que de fato estão com a doença, mas não dão a devida atenção por acharem que estão apenas tristes. Esse quadro na maioria das vezes se agrava, e o indivíduo só busca tratamento quando já não tem mais controle de seus sentimentos negativos, quando estão passando a ter dificuldades de se relacionarem com as pessoas e a perceber que nada está mais como antes. Muitos só passam a receber de fato o tratamento, quando já tentaram o suicídio e felizmente não conseguiram o que desejavam no momento.
Então, para evitar que haja confusão quando o assunto é Depressão e Tristeza, saiba que ambos possuem períodos diferentes. A tristeza passa. A Depressão volta constantemente e apresentam os mesmos sintomas, senão piores a cada crise. A tristeza enfraquece o indivíduo por conta do desânimo e a Depressão faz com que a mesma perca totalmente as suas forças e a vontade de fazer absolutamente tudo, principalmente as coisas que mais gosta. Em suma, fique atento aos sintomas que cada um apresenta para ter mais certeza daquilo que está se passando com você. Caso você tenha a suspeita de que realmente está com Depressão, não pense duas vezes em buscar ajuda. Procure um psicólogo, pois o mesmo irá te escutar e analisar se de fato você está com a doença. E se for necessário tomar remédios, não exite em procurar um Psiquiatra. Depressão é uma doença grave e exige tratamento.

About the Author Carolina Santos

Sou formada em Administração pela UFPE e apaixonada por Psicologia. Lido com a Depressão desde sete anos de idade. Sou apaixonada por leitura e escrita. E meu maior sonho é poder ajudar as pessoas através das minhas experiências de vida. Participem do meu grupo no Facebook: https://www.facebook.com/groups/1969510996617235/ Lá eu interajo mais com vocês sobre a Depressão Abraço :*

follow me on:

Leave a Comment: