Reestruturação cognitiva – A substituição de pensamentos

Shares

reestruturação cognitiva - 18d818ynhy1e2jpg - Reestruturação cognitiva – A substituição de pensamentos

Reestruturação cognitiva é a técnica utilizada para ensinar os pacientes a substituir, de forma sistemática, pensamentos inúteis por pensamentos mais realistas e práticos.





Com base no modelo cognitivo da depressão desenvolvido por Aaron Beck em 1976, a Reestruturação Cognitiva sugere que a maneira de interpretar os acontecimentos externos influencia a nossa reação emocional a eles. Por exemplo, se você tem um amigo que chega 45 minutos atrasado em um compromisso, você pode pensar: “Pode ter acontecido um acidente com ele” ou ” ele acha que é normal chegar 45 minutos atrasado, poderia ter me avisado” ou você poderia ainda pensar: “Talvez ele tenha entendido que eu marquei de encontrá-lo em outro restaurante e deve estar me esperando lá. Esta confusão é culpa minha”.
Se você interpretar o atraso do seu amigo como no primeiro exemplo, você ficará ansioso; o segundo exemplo fará você sentir raiva, e o terceiro, um sentimento de culpa. A situação não muda, é a sua reação emocional que varia de acordo com a sua interpretação.

Reestruturação cognitiva





Na maioria das vezes, os adultos  acreditam que o que estão pensando é o que realmente está acontecendo e apresentam uma resposta emocional à situação imaginada. O problema surge quando esses tipos de pensamentos e suposições se tornam freqüentes e afetam a vida cotidiana dos outros.

Existem pessoas que vivem pensando de forma negativa, por exemplo: “chegarei atrasado no trabalho” ou “com certeza ela está com outra pessoa” ou “todo mundo está contra mim”. A Reestruturação Cognitiva também tem a reputação de ser capaz de ensinar as pessoas a pensarem de forma mais positiva.

Na TCC (Terapia Cognitivo-Comportamental), o terapeuta busca ensinar o paciente a utilizar a Reestruturação Cognitiva para que ele mesmo seja capaze de produzir conclusões mais equilibradas, precisas e  úteis do que as formas habituais de pensamento.

É importante que o terapeuta possa distinguir os pensamentos das crenças. “Pensamentos” podem ser conceituados como pensamentos reais que os pacientes têm em situações específicas, enquanto as “crenças” são suposições mais gerais (ou pensamentos mais dominantes).





A Reestruturação Cognitiva pode ser utilizada na prática clínica, especialmente em casos em que o paciente tem pensamentos indesejados. Estes pensamentos indesejados podem desenvolver pensamentos suicidas, por exemplo: “a única solução que eu vejo para este problema é tirando a minha vida” ou “minha vida não vale nada” ou “eu não deveria ter nascido”, entre outros.

Reestruturação cognitiva é uma das técnicas cognitivo-comportamentais mais evocativas dentro do repertório de procedimentos disponíveis ao terapeuta cognitivo-comportamental. No entanto, a sua aplicação não é nada fácil, por várias razões. Para começar, é necessário um bom conhecimento da doença ou da desordem a ser tratada. Além disso, é necessário velocidade e criatividade para manter uma interação suave e competente com o paciente.

About the Author Taiz de Souza

Apaixonada por psicologia, se dedica a pesquisar continuamente os assuntos mais atuais e variados relacionados a psicologia a fim partilhar artigos interessantes e confiáveis a todos que apreciam.

follow me on:

Leave a Comment: