Psiconlinews
Shares

Autismo e animais de estimação: mais provas de benefícios sociais

Shares

autismo - img 56997fef5176b - Autismo e animais de estimação: mais provas de benefícios sociais

Um novo estudo dá ainda mais apoio à ideia de que a interação com um animal de estimação é muito benéfico para uma criança com autismo. No entanto, o autor enfatiza a necessidade de considerar as sensibilidades de cada criança, bem como a dinâmica familiar, ao escolher qual animal adotar.





O estudo, publicado em um periódico de Enfermagem Pediátrica, questionou os pais de crianças com autismo a respeito das interações das crianças com cães. Quase dois terços das famílias tinha um cachorro de estimação. Destes, 94 % disseram que seu filho era fortemente ligado ao animal de estimação. Mesmo nas famílias sem cães, 7 em cada 10 pais disseram que seus filhos interagiam com cães.





Pesquisas anteriores envolvendo crianças com autismo descobriram que aquelas com um animal de estimação de família desde pequenos tendem a ter maiores habilidades sociais. Uma outra pesquisa mostrou como os comportamentos sociais em crianças que apresentam autismo melhoram temporariamente, mesmo após um período curto de brincadeiras com um animal. Diversos projetos comunitários também têm apoiado programas de eqüino-terapia bem sucedidos para crianças com autismo.

“As crianças com autismo podem se beneficiar especialmente com a interação com cães, que podem fornecer amor incondicional e companheirismo sem julgamento”, diz o autor do novo estudo, a Dra. Gretchen Carlisle. A Dra. Carlisle é uma pesquisadora do Centro de Pesquisas em Interação Humano-Animais da Universidade de Missouri, Faculdade de Medicina Veterinária.

A necessidade de uma análise cuidadosa

A Dr. Carlisle enfatiza que os pais devem considerar as sensibilidades de seus filhos com cuidado ao escolher um animal de estimação para garantir uma boa compatibilidade. “Trazer um cão para qualquer família é um grande passo, mas para as famílias de crianças com autismo, receber um cão é uma decisão que deve ser levada muito a sério”, diz ela. Por exemplo, uma criança que é facilmente agitada ou tem sensibilidade a ruídos pode ter grande dificuldade com um cão extremamente ativo ou que tende a latir.

Embora seu estudo tenha abordado a posse de cães,  a Dra. Carlisle enfatizou que outros animais de estimação, com gatos ou pássaros, podem ser mais adequados para certas crianças e famílias, dependendo de diversos fatores.

Fonte: Autism Speaks traduzido e adaptado por Psiconlinews

About the Author Rachel Hauser Davis

Leave a Comment: