Comer por ansiedade: por que isso acontece e como controlar

Shares





comer por ansiedade - comer ansiedade - Comer por ansiedade: por que isso acontece e como controlar

Problemas de ansiedade são uma das principais razões para consultas em clínicas de psicologia. Os efeitos disso podem interferir em todas as áreas da nossa vida, incluindo nossos hábitos alimentares.

Em muitas ocasiões, quando um paciente visita um nutricionista, pode ser visto que, os maus hábitos alimentares é um transtorno associado a algum tipo de distúrbio emocional, em que a ansiedade tende a desempenhar um papel fundamental. Neste artigo vamos nos concentrar no fato de comer por ansiedade, uma alteração frequente no cotidiano de muitas pessoas.

O que comer por ansiedade significa?





Quando nossos hábitos e comportamentos relacionados à comida são condicionados pelo nosso humor, neste caso um humor ansioso, podemos falar sobre alimentação emocional. No entanto, essas rotinas também podem ser afetadas por outros estados de espírito, como a tristeza.

Nesses casos, a pessoa não come porque está com fome ou por uma necessidade física, mas o faz para satisfazer as necessidades emocionais. Comer é um comportamento que libera numerosos neurotransmissores, como a dopamina, que nos faz sentir bem. Portanto, embora os sentimentos de culpa possam aparecer mais tarde, a recompensa e a sensação imediata de bem-estar ajudam a reduzir a ansiedade.

Desta forma, embora nem sempre estejamos conscientes disso, é muito provável que naqueles dias estressantes ou angustiantes, acabemos comendo alimentos não-saudáveis ​​que nos fazem sentir bem.

Embora um mimo de vez em quando seja algo normal, e até recomendado, determinar nossa dieta com base em como nos sentimos, pode nos levar a um círculo vicioso muito prejudicial à nossa saúde física e mental .

O principal problema de comer por ansiedade é que essa sensação de fome não pode ser mitigada com a comida, mas, como discutido acima, podemos acabar nos sentindo ainda piores do que antes.

Suas causas





Comer compulsivamente é um sintoma muito típico dos estados de ansiedade. Quando procuramos um alívio temporário das emoções negativas nos alimentos, precisamos entender que o problema não está no ato de comer ou no alimento, mas na própria ansiedade. Portanto, se formos capazes de controlá-la, será muito mais fácil para nós satisfazermos a necessidade imperativa de comer.

No entanto, há uma série de razões que facilitam essa necessidade de comer por ansiedade.

1. Incapacidade de gerenciar emoções

Tradicionalmente aprendemos que as emoções negativas não servem para nada além de nos fazer sofrer; por isso então é melhor escondê-las ou reprimi-las. Como conseqüência, um grande número de pessoas é incapaz de gerenciar suas emoções de forma adequada e satisfatória. Portanto, comer por ansiedade é um problema muito recorrente dentro da população.

2. Excesso de autocontrole

O fato de passar o dia todo tentando suprimir ou controlar a vontade de comer pode acabar causando um efeito rebote, em que a pessoa acaba comendo grandes quantidades de comida em um espaço muito pequeno de tempo.

3. Comida como fonte exclusiva de prazer

Provar uma boa refeição é um prazer não-negligenciável. No entanto, quando encontramos o bem-estar apenas através disso, transformando-o no “responsável” pela nossa satisfação, temos um problema.

Como discutido no primeiro ponto do artigo, aliviar nossa ansiedade ou nossa angústia com comida só nos levará a uma espiral de desconforto.

Como diferenciá-lo da fome “normal”?

A necessidade de comer causada pela ansiedade, ou fome emocional, tende a aparecer de repente e com uma intensidade tão alta que, na maioria dos casos, é muito difícil resistir e diferenciá-la de um ataque habitual de fome física.

No entanto, existem alguns sinais que podem nos ajudar a identificar se essa fome é real ou causada pelo nosso estado mental.

  • Aparece inesperadamente e de repente;
  • Não se origina no estômago, mas em nossa mente, que gera uma série de imagens mentais e representações da comida, seu sabor, sua textura, etc.
  • Comemos automaticamente, sem estar ciente do tempo ou das quantidades.
  • Geralmente, queremos um tipo específico de comida ou refeição, quase sempre alimentos gordurosos ou junk food.
  • Não nos sentimos saciados.
  • Depois de comer, sentimentos de culpa, arrependimento ou vergonha aparecem.

Como evitar que isso aconteça?

Controlar essa fome causada pela ansiedade não é uma tarefa fácil. Já que tanto a fome quanto as emoções e sentimentos nem sempre são fáceis de administrar. No entanto, abaixo vamos ver uma série de dicas que podem ajudar quando se trata de controlar e reduzir a necessidade de comer causada pela ansiedade.

1. Procure ajuda profissional

Uma vez determinado que os sentimentos de fome não são físicos, mas emocionais, e que a ansiedade é o grande culpado por não conseguirmos resistir a atacar a geladeira de forma compulsiva, é aconselhável procurar a ajuda de um profissional em psicologia para nos ajudar a gerenciar e diminuir os sintomas ansiosos e, portanto, a necessidade de comer.

2. Identifique as situações ou momentos em que a fome aparece

Certamente a necessidade de comer vem desencadeada por algum evento que nos afetou emocionalmente. Esses eventos podem ser o estresse no trabalho, uma má notícia, um encontro ruim ou até mesmo devido às alterações hormonais do ciclo menstrual.

Se conseguirmos detectar os momentos em que essa sensação aparece, será muito mais fácil visualizá-los e elaborar estratégias que nos ajudem a evitar a compulsão de comer.

3. Aprenda a gerenciar suas emoções

É essencial não reprimir e manter emoções negativas, mas percebê-las como sinais internos de que há algo em nossa vida que precisamos mudar ou melhorar. Um bom manejo emocional, no qual encontramos uma saída satisfatória para nossas emoções, diminuirá nossos níveis de angústia e tensão e, portanto, nossa necessidade de comer.

4. Procure por outros tipos de recompensas

Outro passo fundamental para evitar a fome emocional é buscar outros tipos de recompensas que gerem a mesma satisfação sem as consequências negativas da compulsão alimentar.

5. Realize exercícios de relaxamento

Realizar exercícios e técnicas de relaxamento que nos ajudem a reduzir a tensão e acalmar nosso humor terá uma consequência direta e positiva em nossos níveis de ansiedade.

6. Durma o suficiente

Além de aumentar os níveis de fadiga e ansiedade, não dormir o suficiente também tem um efeito direto sobre o nosso corpo, aumentando os níveis de fome. Se acrescentarmos a isso a fome provocada pela ansiedade, que é reforçada pela falta de sono, voltamos a entrar num ciclo de ansiedade-sono que não nos beneficiará em nenhum aspecto.

7. Pratique alguma atividade física

O exercício físico moderado nos ajuda a aumentar os níveis de dopamina e relaxa a tensão acumulada, sem contar que ainda é um aliado essencial na hora de diminuir os níveis de ansiedade.

8. Beba muita água

Aumentar a nossa ingestão diária de água ajudará a manter a sensação de fome estabilizada. Além disso, às vezes, a água potável pode reduzir temporariamente a intensa sensação de fome por ansiedade.

9. Mantenha a mente ocupada

Tentar distrair a mente naqueles momentos em que a fome de ansiedade aparece pode ser uma boa estratégia de enfrentamento. Desvie a atenção com atividades como ler, conversar com alguém ou realizar alguma atividade agradável pode ser de grande ajuda.

About the Author Psiconlinebrasil

Tudo sobre psicologia e comportamento.

follow me on:

Leave a Comment:

2 comments
Add Your Reply