Psiconlinews
Shares

Transtorno de Ansiedade Generalizada: Diagnóstico e Tratamento

Shares

ansiedade generalizada - Transtorno de Ansiedade Generalizada Diagn  stico e Tratamento - Transtorno de Ansiedade Generalizada: Diagnóstico e Tratamento

O Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) é caracterizado pela preocupação persistente e excessiva com várias coisas diferentes.





As pessoas com Transtorno de Ansiedade Generalizada podem antecipar um desastre e ficarem excessivamente preocupadas com dinheiro, saúde, família, trabalho ou outros problemas. Para indivíduos com TAG é muito difícil controlar essa preocupação. Eles se preocupam mais do que o normal e esperam sempre o pior, mesmo quando não houver motivo real que justifique essa preocupação.

O Transtorno de Ansiedade Generalizada é diagnosticado quando a pessoa acha difícil controlar a preocupação há pelo menos seis meses, e tem três ou mais sintomas. Isso diferencia o TAG da preocupação que pode ser específica de um estressor definido ou por um período de tempo mais limitado.





O Transtorno de Ansiedade Generalizada afeta 6,8 milhões de adultos, ou 3,1% da população dos EUA. As mulheres são duas vezes mais propensas a serem afetadas. O distúrbio surge gradualmente, e pode começar em qualquer estágio de vida, embora o risco seja maior entre a infância e a meia-idade. Embora a causa exata da ansiedade generalizada seja desconhecida, há evidências de que fatores biológicos, antecedentes familiares e experiências de vida, particularmente estressantes, desempenham um papel fundamental.

Às vezes, basta pensar sobre o dia seguinte para que a ansiedade comece. As pessoas com ansiedade generalizada não sabem como parar o ciclo de preocupação, e sentem que essa capacidade está além de seu controle, embora geralmente percebam que a ansiedade é mais intensa do que a situação exige. Todos os transtornos de ansiedade podem estar relacionados a uma dificuldade em tolerar a incerteza e, portanto, muitas pessoas com ansiedade generalizada tentam planejar ou controlar situações. Muitas pessoas acreditam que a preocupação impede que coisas ruins aconteçam, por isso acham arriscado abandonar a preocupação. Às vezes, os pacientes ainda sentem sintomas físicos, como dor de estômago e dores de cabeça.





Quando o nível de ansiedade é leve a moderado, as pessoas com Transtorno de Ansiedade Generalizada podem ter vida social e um emprego remunerado. Muitos pacientes com TAG evitam situações por não conseguirem aproveitar as oportunidades devido à preocupação constante (situações sociais, viagens, promoções, etc). Por outro lado, algumas pessoas podem ter dificuldade para realizar as atividades diárias mais simples, quando o nível de ansiedade for grave.

Sobre o tratamento:

Vários tipos de tratamento podem ajudar pacientes diagnosticados com Transtorno de Ansiedade Generalizada. A psicoterapia comportamental cognitivo (TCC) tem sido mais pesquisada, e tem como alvo específico os pensamentos, sintomas físicos e comportamentos, incluindo a preparação, o planejamento e a evitação excessiva que caracterizam a ansiedade generalizada. Abordagens baseadas em mindfulness e Terapia de Compromisso e Aceitação também foram investigadas e obtiveram resultados positivos. Todas as psicoterapias ajudam os pacientes a mudar sua relação com os sintomas. Elas ajudam os pacientes a entender a natureza da ansiedade em si, a ter menos medo da presença de ansiedade e a fazer escolhas independentemente da presença de ansiedade. Os tratamentos para adultos com TCC para ansiedade generalizada foram modificados para crianças e adolescentes, e mostraram resultados muito positivos.

Há uma série de opções medicamentosas para o TAG, geralmente os ISRS, isoladamente ou em combinação com psicoterapia.

Técnicas de relaxamento, meditação, ioga, exercícios e outros tratamentos alternativos também podem se tornar parte de um plano de tratamento.

Outros transtornos de ansiedade, depressão ou abuso de drogas, geralmente acompanham o Transtorno de Ansiedade Generalizada, que raramente ocorre isoladamente; condições concomitantes também devem ser tratadas com terapias apropriadas.

About the Author Psiconlinebrasil

Tudo sobre psicologia e comportamento.

follow me on:

Leave a Comment:

2 comments
Add Your Reply