Pessoas com ansiedade são mais propensas a desenvolver doenças cardíacas. Saiba por quê.

Shares

ansiedade - ansiedade cora    o - Pessoas com ansiedade são mais propensas a desenvolver doenças cardíacas. Saiba por quê.

Pessoas que sofrem de ansiedade crônica apresentam elevados níveis de norepinefrina, um hormônio neurotransmissor que desempenha um papel fundamental na resposta ao estresse, e quando produzido por períodos prolongados pode afetar o funcionamento cardíaco e a saúde das pessoas.






Essas novas informações foram reveladas por estudos da Universidade de Iowa e foram publicadas no Journal of Neuropsicologia, que observou a resposta de dois grupos de participantes (um grupo que sofria de ansiedade crônica e um segundo grupo não diagnosticado com ansiedade) que viveram uma experiência de estresse no laboratório .





Para medir a resposta ao estresse fisiológico cada participante foi colocado em uma banheira de água fria por dois minutos e foi convidado, enquanto resistia ao frio, para resolver uma série de problemas de matemática simples por quatro minutos (isso permitiu-lhes avaliar o estresse psicológico). Para avaliar a ansiedade, todos os sujeitos foram informados de que tinham um período de dois minutos para se preparar para o banho com água fria. A resposta fisiológica foi medida através de pequenos microeletrodos colocados nos nervos simpáticos, também foram monitorados quanto à pressão arterial e fluxo sanguíneo.





Como esperado, as pessoas com ansiedade crônica apresentaram níveis mais altos de norepinefrina e tinham uma resposta mais alta dos nervos simpáticos em comparação com os indivíduos do grupo controle.

Este aumento significativo da noradrenalina e atividade tecidual simpática pode levar as pessoas com ansiedade a sofrer de doenças cardiovasculares.

 Fonte do estudo original : Holwerda, SW, Luehrs, RE, Gremaud, AL, Wooldridge, NA, Stroud, AK, Fiedorowicz, JG, et al. (2018) A amplitude relativa do burst da atividade nervosa simpática muscular é um indicador de alteração do fluxo simpático na ansiedade crônica. Journal of Neurophysiology, 17 (1), I43. http://doi.org/10.1152/jn.00064.2018

Fonte : Psychcentral

About the Author Psiconlinebrasil

Tudo sobre psicologia e comportamento.

follow me on:

Leave a Comment: